Assia Djebar: uma busca identitária alicerçada no entrelugar literário franco-árabe

Autores

  • Maria Rennally Soares da Silva Universidade Federal de Campina Grande
  • Francisca Zuleide Duarte de Souza Universidade Estadual da Paraíba
Palavras-chave: Assia Djebar, entrelugar literário, escritora argelina, construção identitária

Resumo

DOI: https://dx.doi.org/10.35572/rlr.v7i0.1243   No âmbito da literatura pós-colonial, o povo argelino buscou na escrita literária, uma forma resistir às formas de subordinação às quais foram submetidos, no contexto de agenciamento das marcas e rupturas causadas pelo regime colonialista. Alguns escritores argelinos passaram a escrever textos literários em língua francesa com o intuito de serem ouvidos para além-fronteiras. A escritora argelina Fatima Zohra Imalayène, conhecida pelo pseudônimo Assia Djebar, obteve grande destaque por denunciar, em suas obras, a situação de subalternização vivenciada pelas mulheres argelinas, bem como o massacre pelo qual passou o povo argelino, submetido às imposições dos colonizadores franceses. Essa pesquisa bibliográfica (GIL, 2008) tem como objetivo discutir elementos que ratificam o entrelugar literário na obra da referida escritora argelina. Para tanto, temos como base teórica os estudos de Bhabha (2005) a respeito do entrelugar e do hibridismo cultural, bem como as reflexões de Deleuze e Guatari (2000) sobre a perspectiva do devir revolucionário. Inserida no contexto diaspórico, a autora vivenciou o regime colonialista instalado em seu país de origem e buscou, na literatura, uma forma de superação das rupturas deixadas pelo colonialismo e pelas imposições patriarcalistas presentes em sua identidade cultural. Encontramos, em suas obras, uma espécie de desconforto com relação à sua identidade. Por não se enxergar totalmente argelina e nem totalmente francesa, ela expressa em suas obras uma angústia que a leva a escrever para “dizer-se” (DJEBAR, 1985, p. 91) e para dar voz ao seu povo, especialmente às mulheres árabes, que permanecem na invisibilidade. Esta voz é dada através da escrita literária em língua francesa. Assim, o entrelugar literário franco-árabe de Assia Djebar lhe causa o sentimento dúbio de liberdade e de afasia. Essa cisão identitária manifestou-se em toda a sua obra e a levou a viver entre os universos francês e árabe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisca Zuleide Duarte de Souza, Universidade Estadual da Paraíba

Doutora em Letras pela Universidade Federal da Paraíba. Docente da Universidade Estadual da
Paraíba, membro efetivo do Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Literatura e Interculturalidade. Campina Grande- PB, Brasil.

Referências

AMROUCHE, M. T. La rue des tambourins. Paris, Table Ronde, 1960.

ASHCROFT, B. et al. The empire writes back: theory and practice in post-colonial literatures. Londres: Routledge, 1989.

ALMEIDA, I. B. S. Culturas africanas, culturas diaspóricas: uma reflexão. Revista Histórias e perspectivas. Uberlândia. 197.214, jul. dez. 2010.

BARRADA, H. T. C. «Assia Djebar» Journal Jeune Afrique, 2008. Disponível em: http://www.jeuneafrique.com/57084/archives-thematique/assia-djebar/ Acesso em: 26 de setembro de 2017.

BENALIL, M. L’autobiographie et les enjeux du dialogisme culturel dans ‘L’amour, la Fantasia’ d’Assia Djebar. Rencontre des cultures et enjeux identitaires, Revista Diálogos, 2004.

BHABHA, H. K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

BOAHEN, A. A. História geral da África, VII: África sob dominação colonial, 1880-1935 – 2.ed. rev. – Brasília: UNESCO, 2010.

BONNICI, T. Teoria e crítica pós-colonialistas. In: Teoria literária: abordagens históricas e tendências contemporâneas. Maringá: Eduem, 2009: 257-286.

CHIH, Z. L’Amour, la fantasia d’Assia Djebar: de l’écriture autobiographique à l’écriture des cris. Synergies. Algérie n° 21 - 2014 p. 29-43.

COMBE, D. Les littératures francophones - questions, débats, polémiques. Presses Universitaires de France. Paris, 2010.

DELEUZE, G; GUATARI, F. Como criar para si um corpo sem órgãos. Mil platôs. Capitalismo e esquizofrenia. Vol. 3. São Paulo: Editora 34, 2000.

DIB, M. L’Incendie. Paris, Le Seuil, 1954.

DJEBAR, A. La Soif. Paris: Julliard, 1957.

____ . L’amour, la Fantasia. Paris : Albin Michel, 1985.

____ . Ces voix qui m’assiègent… en marge de ma francophonie. Paris : Albin Michel, 1999.

____ . Nulle part dans la maison de mon père. Paris: Fayard, 2007.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Editora Atlas, 2008.

GLISSANT, É. Introduction à une Poétique du Divers. Montréal: PUM, 1995.

HOYET M.-J. Leila Sebbar, Malika Mokeddem, Maïssa Bey, Fatima Mernissi, Hélé Beji. Magazine Babelmed - cultures méditerranéennes en ligne. Roma, 2013.

KATEB, Y. Nedjma. Paris, Le Seuil, 1956.

LAMEIRINHA, C. A. B. Língua, exílio e memória: uma leitura comparativa de Le Premier Homme, de Albert Camus e La disparition de la langue française, de Assia Djebar. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Literários e Tradutológicos em Francês. USP - São Paulo, 2013.

LUKÁCS, G. A teoria do romance; Um ensaio histórico filosófico sobre as formas da grande épica. Trad., posfácio e notas José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Duas Cidades/Editora 34, 2000. p. 7-19.

MEMMI, A. Portrait du colonisé, précédé du portrait du colonisateur. Paris, Payot, 1957.

MINTZ, S.; PRICE, R. O Nascimento da cultura Afro-Americana. Uma perspectiva antropológica. Rio de Janeiro: Editoria Pallas e Centro de estudos Afro-Asiáticos, 2003.

NAJIBA, R. L'autobiographie à la fiction ou le je(u) de l'écriture : étude de L'Amour, la Fantasia et d'Ombre sultane d'Assia Djebar. 1995. 395 f. Thèse de doctorat de littérature française - Université Paris Nord, U.F.R. Lettres, Departement de Français. 1995.

NETO, M. L. A. A sociologia da literatura: origens e questionamentos. Revista Entrelaces: Ceará, 2007.

ORLANDO, V. La Soïf d'Assia Djebar: pour un nouveau roman maghrébin. Revista El-Khitab. Université de Maryland, USA, 2015. Disponível em: http://revue.ummto.dz/index.php/khitab/article/viewFile/1226/1027. Acesso em: 22 de setembro de 2017.

PEREIRA, K. R. W.; SOUZA, F. Z. D. Diáspora, exílio e memória nas literaturas africanas em Língua Portuguesa. Assis: Revista Miscelânea, 2016.

RAMALHO, Y. A. O exílio no romance ‘Primavera con una esquina rota de Mario Benedetti’. 2013. 72 p. Dissertação de mestrado – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Programa de Pós-graduação em estudos da linguagem.

REGAIEG, N. L'amour, la Fantasia d'Assia Djebar: de l'autobiographie à la fiction. Extrait de la revue Itinéraires et contacts de cultures, Paris, L'Harmattan et Université Paris 13, n° 27, 1° semestre 1999.

SILVA, M. R. S. ‘L’amour, la Fantasia’, de Assia Djebar: a literatura em aula de FLE como lugar de resistência feminina. 2017. 200 f. Dissertação (Mestrado em Linguagem e Ensino) – Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Campina Grande. 2017.

SOARES, V. L. A situação linguística e a literatura de expressão francesa no Maghreb. Revista Fragmentos, Florianópolis: UFSC, 1990.

UZOIGWE, G. N. Periodização do colonialismo na África. In: História geral da África VII- África sob dominação colonial, 1880-1935 – 2.ed. rev. – Brasília: UNESCO, 2010.

Downloads

Publicado em

13 de outubro de 2023

Como Citar

SILVA, M. R. S. da .; SOUZA, F. Z. D. de . Assia Djebar: uma busca identitária alicerçada no entrelugar literário franco-árabe. Revista Letras Raras, Campina Grande, v. 7, n. Especial, p. Port. 165–183 / Eng. 163, 2023. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/RLR/article/view/1497. Acesso em: 12 abr. 2024.

Seção

Línguas e linguagens no contexto da contemporaneidade

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)