Literatura, memória e identidade: entrevista com Ondjaki

Autores

Palavras-chave: Literatura, Memória, Identidade

Resumo

DOI: https://dx.doi.org/10.35572/rlr.v9i3.1904

Sucedendo autores como Luandino Vieira, Manuel Rui e Pepetela, Ondjaki - pseudônimo de Ndalu de Almeida, nascido em 5 de julho de 1977, na cidade de Luanda, dois anos após a independência de Angola – é um autor de várias facetas que apresenta em toda a sua obra uma visão renovada de seu país de origem. Considerado um dos maiores representantes da Literatura angolana contemporânea, o jovem escritor, com narrativas em sua maioria ambientadas no período pós-independência, se insere no cenário da tradição literária retratando fatos do cotidiano luandense, utilizando um narrador que pode ser percebido como o seu alter-ego, de nome Ndalu, trazendo memórias de sua infância, representando indiretamente a memória coletiva do povo angolano. Como escritor já tem mais de 20 obras publicadas, dentre elas destacam-se os romances Bom dia camaradas (2001),  AvóDezanove e o segredo do soviético (2008) – ganhadora do Prêmio Jabuti na categoria juvenil - e Os transparentes (2012); e o livro de narrativas Os da minha rua (2007), obra vencedora do Grande Prêmio de Conto Camilo Castelo Branco, da Associação Portuguesa de Escritores. Nesta entrevista, realizada via e-mail, em meados de fevereiro de 2020, a partir de questionamentos em que elegem a memória  como um fio condutor para a afirmação de uma identidade a partir da literatura, Ondjaki considera que o recurso mnemônico de seu projeto literário tem, sim, o espaço luandense como pano de fundo, mas ultrapassa essa particularidade, posto que a universalidade, inerente  a produção literária, possibilita o leitor refletir acerca de questões humanas em suas diversas nuances: política, social, educativa e cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renally Arruda Martins de Lima, Universidade Estadual da Paraíba

Mestranda em Linguagem e Ensino - PPGLE na UFCG. Graduada em Letras - Língua Portuguesa
pela Universidade Estadual da Paraíba. Especializanda em Tecnologias Digitais na Educação,
pela mesma instituição.

Maria Marta dos Santos Silva Nóbrega, Universidade Federal de Campina Grande

Doutora em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (2003). Atua como
professora da Graduação em Letras e da Pós-Graduação em Linguagem e Ensino da
Universidade Federal de Campina Grande. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em
Literatura Brasileira

Downloads

Publicado em

26 de setembro de 2023

Como Citar

LIMA, R. A. M. de .; NÓBREGA, M. M. dos S. S. . Literatura, memória e identidade: entrevista com Ondjaki. Revista Letras Raras, Campina Grande, v. 9, n. 3, p. Port. 293–302, 2023. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/RLR/article/view/1222. Acesso em: 19 abr. 2024.

Seção

Produção Artística