Sobre o epistemicídio em manuais de linguística produzidos após a Lei Federal 11.645/08: Uma proposta de leitura discursiva

Autores

  • Vitória Paloma Aguiar Alves Universidade Federal de Campina Grande
  • Maria Angélica de Oliveira Universidade Federal de Campina Grande

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.7909710
Palavras-chave: Manuais de Linguística, Epistemicídio, Mundo ocidentalocêntrico

Resumo

O fazer linguístico está atrelado não só àquilo que é discursivizado, mas também aos silêncios encontrados na materialidade discursiva. Pensando nisso, fundamentada nos Estudos Discursivos (ORLANDI, 2007; FOUCAULT, 2003, 2010), nas teórico-filosóficas dos Estudos Pós-Coloniais (KILOMBA, 2019; NASCIMENTO, 2020, 2022) e na Ecologia dos Saberes (SOUZA SANTOS, 2010, 2019), a presente pesquisa apresenta um recorte de discussões desenvolvidas no projeto de iniciação científica O olho azul das letras enxerga a língua(gem) dos não-brancos? Uma proposta de leitura discursiva de Manuais de Linguística produzidos após a Lei Federal 11.645/08, que avalia a (não) presença de saberes pretos e indígenas em 4 manuais de linguística, recorrentes no ensino de língua. Os resultados mostram que os discursos linguísticos de povos não-brancos sofrem um grande contexto de epistemicídio, em que determinadas vozes são apagadas. Vê-se que as vontades de verdade científicas são regidas pelo mundo ocidentalocêntrico, que contém todo o poder-saber na ordem do verdadeiro, enquanto demais saberes são silenciados e jogados no abismo cultural e científico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitória Paloma Aguiar Alves, Universidade Federal de Campina Grande

Graduação em andamento no curso de Letras – Língua Portuguesa e Língua Francesa pela Universidade Federal de Campina Grande, em Campina Grande, Paraíba, Brasil.

Maria Angélica de Oliveira, Universidade Federal de Campina Grande

Doutorado em Letras pela Universidade Federal da Paraíba (2005); Pós-doutorado em Linguagem e Ensino pela Universidade Federal de Campina Grande (2021). Atualmente é professora titular da Universidade Federal de Campina Grande, em Campina Grande, Paraíba, Brasil. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, em Língua Francesa, em Estudos do discurso.

Referências

ALVES, Vitória Paloma Aguiar; OLIVEIRA, Maria Angélica de. Sobre o epistemicídio em manuais de linguística produzidos após a Lei Federal 11.645/08: Uma proposta de leitura discursiva. Revista Letras Raras, Campina Grande, v. 12, n. 1, p. 64-80, abr. 2023.

Downloads

Publicado em

29 de abril de 2023 — Atualizado em 29 de abril de 2023

Versões

Como Citar

ALVES, V. P. A.; OLIVEIRA, M. A. de. Sobre o epistemicídio em manuais de linguística produzidos após a Lei Federal 11.645/08: Uma proposta de leitura discursiva. Revista Letras Raras, Campina Grande, v. 12, n. 1, p. 64–80, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.7909710. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/RLR/article/view/424. Acesso em: 12 abr. 2024.

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)