William Blake: o gênio oitocentista da intermidialidade como personagem em Mad Girl’s Love Song

Autores

Palavras-chave: Blake, Apropriação, Impressão iluminada, Rukmini Bhaya Nair

Resumo

DOI: https://dx.doi.org/10.35572/rlr.v9i3.1849

O ponto fulcral do trabalho é a apropriação da persona de William Blake como personagem do romance Mad Girl’s Love Song, da escritora pós-colonial indiana Rukmini Bhaya Nair. Discute-se inicialmente o caráter intermidiático da obra de Blake, como poeta e pintor, com destaque para sua técnica de gravação em cobre, a chamada impressão iluminada, que constitui o traço diferencial de sua arte. A partir do conceito de remediação de mídias anteriores explanado por Bolter e Grusin vê-se a obra de Blake como exemplo oitocentista de immediacy e hypermediacy que caracterizam as mídias digitais de hoje. Para análise das fases de produção e recepção da díade texto-imagem utilizam-se os conceitos de simultaneidade e sucessividade de Leo Hoek, na tradução intersemiótica. A relação da escritura de Bhaya Nair com o cânone literário ocidental é vista não só como apropriação de seus temas, personagens e técnicas de escritura, mas como instrumento de protesto contra a subalternidade do sujeito pós-colonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mail Marques de Azevedo, Centro Universitário Campos de Andrade – UNIANDRADE

Doutorado em Língua Inglesa e Literaturas Inglesa e Norte-Americana, USP. Professor titular do Curso de
Mestrado e Doutorado em Teoria Literária do Centro Universitário Campos de Andrade – UNIANDRADE,
Curitiba, PR

Referências

BLAKE, William. O casamento do céu e do inferno: e outros escritos. L&PM Editores. Edição do Kindle.

BOLTER, J. D.; GRUSIN, R. Remediation. Understanding New Media. Cambridge, Mass.: The MIT Press, 2002.

CLÜVER, C. On Intersemiotic Transposition. Poetics Today.10:1 (Spring 1989). p. 56-75.

HOEK, L. A transposição intersemiótica: por uma classificação programática. In: ARBEX, M. (Org.) Poéticas do visível. Ensaios sobre a escrita e a imagem. Belo Horizonte: PPGLetras UFMG, 2004. p. 162-190.

HUANG, Alexa; RIVLIN, Elizabeth (Eds.) Shakespeare and the Ethics of Appropriation. New York: Palgrave Macmillan, 2014.

MARKS, Darryl. William Blake Complete Works Ultimate Collection. 250+WORKS All Poetry, Poems, Prose, Annotations, Letters, Rarities PLUS Biography. London: Everlasting Flames, 2013. Kindle Edition

Poems, prose and works of William Blake – circa 1803-1827

Pictor Ignotus – Life of William Blake – Alexander Gilchrist – 1863. Kindle edition: 26990-44316.

MARX, J. Postcolonial literature and the Western literary canon. In: LAZARUS, N. (Ed.) The Cambridge Companion to Postcolonial Literary Studies. Cambridge: Cambridge Un. Press, 2004.

NAIR, R. B. Lying on the postcolonial couch. The idea of indifference. Minneapolis: Un. of Minnesota Press, 2002.

RAJEWSKY, Irina. Intermedialidade, intertextualidade e “remediação”. In: DINIZ, Thais Flores Nogueira (Org) Intermidialidade e estudos interartes: desafios da arte contemporânea. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

Downloads

Publicado em

26 de setembro de 2023

Como Citar

AZEVEDO, M. M. de . William Blake: o gênio oitocentista da intermidialidade como personagem em Mad Girl’s Love Song. Revista Letras Raras, Campina Grande, v. 9, n. 3, p. Port. 140–155 / Eng. 136, 2023. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/RLR/article/view/1209. Acesso em: 19 abr. 2024.

Seção

Dossiê: Intermidialidade e referências intermidiáticas