OS NÍVEIS DO LETRAMENTO CIENTÍFICO EM PROPOSTAS PEDAGÓGICAS APRESENTADAS POR PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8021754
Palavras-chave: Ensino, Formação de Professores, Prática Pedagógica

Resumo

Este estudo teve por objetivo analisar as propostas pedagógicas realizadas por grupos de professores participantes de um curso de formação sobre Letramento Científico, verificando se e quais níveis de Letramento Científico são constatados ou desenvolvidos nestas propostas. Trata-se de um estudo qualitativo, de caráter exploratório, o qual analisou 10 propostas pedagógicas, organizadas por 33 professores da educação básica. Para o tratamento das propostas pedagógicas, utilizou-se dos seguintes níveis:  Letramento Nominal (LN); Letramento Funcional (LF); Letramento Conceitual (LC); e Letramento Multidimensional (LM). Fez-se a análise de conteúdo apoiada no software Atlas.TI para melhor descrição dos resultados. Verificou-se a presença dos quatro níveis de Letramento Científico. No entanto, considerando as propostas pedagógicas aplicadas em sala de aula, observou-se a predominância dos primeiros três níveis de Letramento Científico (Nominal, Funcional e Conceitual). Em contrapartida, o nível mais completo, o Letramento Multidimensional, só foi encontrado em proposta que estava apenas prevista para aplicação em sala de aula. São necessárias mudanças na perspectiva social e escolar em conjunto com a promoção de práticas em sala de aula que tornem possível o desenvolvimento do Letramento Científico na educação básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathalie Suelen do Amaral Gonçalves, Universidade Federal do Pampa

Doutoranda em Educação em Ciências pela UNIPAMPA (PPGECi), mestra em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde no campus Uruguaiana da UNIPAMPA (2021), especialista em Tecnologias da Informação e Comunicação Aplicadas à Educação pela UFSM/UAB (2017) e em Tecnologias para Aplicações Web pela UNOPAR (2015). Graduada em Sistemas de Informação pela PUCRS (2010). Atualmente pesquisando a educomunicação e a gamificação como estratégia e metodologia de ensino e formação continuada de professores da rede pública municipal de Uruguaiana-RS. Profissionalmente atua como Técnica Administrativa em Educação na Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), no setor de Tecnologia da Informação e Comunicação do campus Uruguaiana. Em 2019 e 2020 foi integrante do grupo GEPEF (Grupo de Estudos e Pequisa em Estágio e Formação de Professores). De 2019 a 2021 integrante como pesquisadora do grupo GIPPE (Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Prática de Ensino). De 2021 a 2022 pesquisadora no Grupo Colaborativo Flexilhas. Desde 2021 pesquisadora no grupo GIGA Educomunicação, da Universidade Federal do Pampa. 

Renata Godinho Soares, Universidade Federal do Pampa

Licenciada em Educação Física pela Universidade da Região da Campanha - Campus Alegrete. Especialista em Atividade Física e Saúde, Mestra e doutoranda em Educação em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências, Universidade Federal do Pampa - Campus Uruguaiana. Pesquisadora nos Grupo Colaborativo Flexilhas, Unipampa-RS, Ciênciaemflor e Grupo de estudo e pesquisa ensino em movimento (Universidade Federal de Santa Maria). Tem experiência na área de Formação de Professores e Processos de Ensino-Aprendizagem utilizando Metodologias Ativas.

Cadidja Coutinho , Universidade Federal de Santa Maria

Graduação em Ciências Biológicas (Bacharelado e Licenciatura), Mestrado e Doutorado em Educação em Ciências, Especialização em TIC aplicadas à Educação e em Educação Ambiental pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Professora adjunta no Departamento de Metodologia do Ensino, Centro de Educação, Universidade Federal de Santa Maria (MEN- CE/UFSM) e no PPG Educação em Ciências (PPgECI - UFSM). Líder do grupo de pesquisa Ciênciaemflor. Sócia e secretária (Gestão 2022 - 2023) da Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBENBIO). Áreas de interesse: Letramento científico e Inovação Pedagógica na educação básica e ensino superior; Educação Ambiental. 

Referências

ZEVEDO, A. V.; DE AZEVEDO, S. M. L. Tecnologia E Ensino Remoto: Reinvenção Da Prática Pedagógica Em Tempos De Pandemia. Revista Científica Do Sertão Baiano, v. 2, n. 2, p. 44-55, 2021.

BRASIL. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 24 de maio de 2016.

CHASSOT, A. Alfabetização Científica: questões e desafios para a educação. Ijuí-RS. Editora Unijuí, 2018.

DECS. Descritores em Ciências da Saúde. Biblioteca virtual em Saúde. Disponível em: https://decs.bvsalud.org/. Acesso em: fev. 2023.

KRAMER, S. Propostas pedagógicas ou curriculares: subsídios para uma leitura crítica. Educação & Sociedade, v. 18, p. 15-35, 1997.

LIMA, G. F. da C.; LAYRARGUES, P. P. Mudanças climáticas, educação e meio ambiente: para além do Conservadorismo Dinâmico. Educar em Revista, p. 73-88, 2014.

NÓVOA, A. S. Professor se forma na escola. Nova Escola, São Paulo, Editora Abril, 2001.

PLAÇA, J. S. V.; RADFORD, L. A Formação De Professores Para O Ensino De Ciências Na Perspectiva Na Teoria Da Objetivação. Interfaces Da Educação, v. 12, n. 36, 2021.

RUPPENTHAL, R.; COUTINHO, C.; MARZARI, M. R. B. Alfabetização e letramento científico: dimensões da educação científica. Research, Society and Development, v. 9, n. 10, p. e7559109302-e7559109302, 2020.

SGANZERLA, F. L. et al. Letramento Científico Na Formação Inicial e Continuada De Professores De Ciências Da Natureza. In: MACHADO, M. M.; DUTRA, C. M.; RUPPENTHAL, R. (org.). Grupos De Pesquisa Em Ação: contribuições para o desenvolvimento da Educação Científica. Curitiba: Editora CRV, 2022. p. 127-141.

SILVA, W. R. et al. Letramento científico na formação inicial do professor. Revista práticas de linguagem, v. 6, n. esp., p. 8-23, 2016.

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista brasileira de educação, p. 5-17, 2004.

SOARES, R. G. et al. Letramento Digital E Formação De Professores: possibilidades durante a pandemia. In MACHADO, M. M.; DUTRA, C. M.; RUPPENTHAL, R. (org.). Grupos De Pesquisa Em Ação: contribuições para o desenvolvimento da Educação Científica. Curitiba: Editora CRV, 2022. p. 105-126.

Downloads

Publicado em

10 de junho de 2023

Como Citar

GONÇALVES, N. S. do A. .; SOARES, Renata G. .; COUTINHO , C. . OS NÍVEIS DO LETRAMENTO CIENTÍFICO EM PROPOSTAS PEDAGÓGICAS APRESENTADAS POR PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Revista Leia Escola, Campina Grande, v. 23, n. 1, p. 159–173, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8021754. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/leia/article/view/614. Acesso em: 20 jul. 2024.

Seção

Dossiê