LETRAMENTO CIENTÍFICO A PARTIR DA INTERPRETAÇÃO DE RECURSOS IMAGÉTICOS E PRODUÇÃO DE EXPLICAÇÕES CIENTÍFICAS POR ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8022106
Palavras-chave: Explicação científica, Letramento Científico, CTS, Educação em Ciências

Resumo

Neste artigo, analisamos explicações científicas feitas por estudantes do Ensino Médio e indícios de letramento científico. Em uma atividade avaliativa que finalizava a aplicação do “projeto água em foco: qualidade de vida e cidadania”, com abordagem em Ciência, Tecnologia e Sociedade, os estudantes realizaram atividades de leitura e interpretação de recursos imagéticos, seguidas pela produção de textos escritos. A partir desses textos, em que os estudantes deveriam apresentar explicações científicas sobre aspectos da poluição da água, realizamos a análise de conteúdo com o uso de ferramentas analíticas. Dentre os principais resultados: a maioria dos estudantes produziu explicações científicas com linguagem próxima à linguagem cotidiana; tais explicações apresentaram densidade semântica relativamente baixa; e os estudantes apresentaram indícios de níveis relativamente baixos de letramento científico. A partir desses resultados, discutimos tais aspectos em termos da Educação em Ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AIKENHEAD, G. S. An analysis of four ways of assessing student beliefs about STS topics. Journal of Research in Science Teaching, v. 25, n. 8, p. 607-629, 1988. https://doi.org/10.1002/tea.3660250802

AIKENHEAD, G. The integration of STS into science education. Theory into Practice, v. 31, n. 1, p. 27-35, 1992. https://doi.org/10.1080/00405849209543521

BRANCO, A. B. G.; BRANCO, E. P.; ZANATTA, S. C.; NAGASHIMA, L. A. O letramento científico na BNCC: possíveis desafios para sua prática. Revista Contemporânea de Educação, v. 15, n. 33, 2020. http://dx.doi.org/10.20500/rce.v15i33.32073

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB No 9394/96. De 20 de dezembro de 1996. Brasília, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Brasília, 2018.

BUCCHI, M. Science and the media: Alternative routes to scientific communications. London: Routledge, 2012.

ERICKSON, F. Qualitative Research Methods for Science Education. In: FRASER, B.; TOBIN, K.; MCROBBIE, C. J. (Eds.). Second International Handbook of Science

Education. Dordrecht: Springer, 2012. p. 1451-1469.

FRANCO, L. G.; MUNFORD, D. Reflexões sobre a Base Nacional Comum Curricular: um olhar da área de Ciências da Natureza. Horizontes, v. 36, n. 1, p. 158-171, 2018. https://doi.org/10.24933/horizontes.v36i1.582

GILBERT, J. K. On the Nature of “Context” in Chemical Education. International Journal of Science Education, v. 28, n. 9, p. 957-976, 2006. https://doi.org/10.1080/09500690600702470

HALLIDAY, M. A. K.; MARTIN, J. R. Writing science: literacy and discursive power. London: University of Pittsburgh Press, 1993.

HODSON, D. In Search of a Meaningful Relationship: an Exploration of some Issues Relating to Integration in Science and Science Education. International Journal of Science Education, v. 14, n. 5, p. 541-562, 1992. https://doi.org/10.1080/0950069920140506

HODSON, D. Learning Science, Learning about Science, Doing Science: Different Goals Demand Different Learning Methods. International Journal of Science Education, v. 36, n. 15, p. 2534-2553, 2014. https://Doi.Org/10.1080/09500693.2014.899722

KELLY, G. Scientific literacy, discourse, and knowledge. In: LINDER, C.; ÖSTMAN, L.; WICKMAN, P-O. (Eds.) Promoting Scientific Literacy: Science Education Research in Transaction. Geotryckeriet: Uppsala, 2008, p. 47-55.

KIND, P. E. R.; OSBORNE, J. Styles of scientific reasoning: A cultural rationale for science education?. Science Education, v. 101, n.1, p. 8-31, 2017. https://doi.org/10.1002/sce.21251

KUHN, D. The skills of argument. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

MAMEDE, M.; ZIMMERMANN, E. Letramento científico e CTS na formação de professores para o ensino de ciências. Enseñanza de las Ciencias, n. Extra, p. 1-4, 2005.

MATON, K. Making semantic waves: a key to cumulative knowledge-building. Linguistics and Education, v. 24, n. 1, p. 8-22, 2013. https://doi.org/10.1016/j.linged.2012.11.005

McNEILL, K. L.; KRAJCIK, J. Scientific explanations: Characterizing and evaluating the effects of teachers' instructional practices on student learning. Journal of Research in Science Teaching: The Official Journal of the National Association for Research in Science Teaching, v. 45, n. 1, p. 53-78, 2008). https://doi.org/10.1002/tea.20201

MORTIMER, E. F. Construtivismo, mudança conceitual e ensino de ciências: para onde vamos?. Investigações em Ensino de Ciências, v. 1, n. 1, p. 20-39, 1996.

OGBORN, J.; KRESS, G.; MARTINS, I.; McGILLICUDDY, K. Explaining Science in the Classroom. Buckingham: Open University Press, 1996.

PADERNA, E. E. S.; YANGCO, R. T.; FERIDO, M. B. Reframing Chemistry Learning: The Use of Student-Generated Contexts. In: SCHULTZ, M.; SCHMID, S.;

LAWRIE, G. A. (Orgs.), Research and Practice in Chemistry Education. Geelong: Springer, 2019, p. 31-50.

PALINCSAR, A. S.; ANDERSON, C.; DAVID, Y. M. Pursuing Scientific Literacy in the Middle Grades through Collaborative Problem Solving. The Elementary School Journal. v. 93, n. 5, p. 644-658, 1993.

ROBERTS, D. A. Scientific Literacy/Science Literacy. In: ROBERTS, D. A.; ABELL, S. K.; LEDERMAN, N. G. (Eds.) Handbook of Research on Science Education. London: Routledge, 2007. p. 729-780.

RODRIGUES, C. Abordagem CTS e possibilidades de letramento científico no projeto Água em foco: tipos textuais e linguagem científica. 2010. 99 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

RODRIGUES, L. Z.; PEREIRA, B.; MOHR, A. O documento “Proposta para Base Nacional Comum da Formação de Professores da Educação Básica” (BNCFP): dez razões para temer e contestar a BNCFP. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, p. 1-39, 2020. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2020u139

ROTH, W-M.; LEE, S. Science Education as/for Participation in the Community. Science Education, v. 88, n.2. p. 263-291, 2004. https://doi.org/10.1002/sce.10113

SANTOS, B. F.; MORTIMER, E. F. Ondas semânticas e a dimensão epistêmica do discurso na sala de aula de química. Investigações em Ensino de Ciências, v. 24, p. 62-80, 2019. http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2019v24n1p62

SANTOS, W. L. P. Educação científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 36, p. 474-492, 2007. https://doi.org/10.1590/S1413-24782007000300007

SANTOS, W. L. P. Educação CTS e cidadania: confluências e diferenças. Amazônia: Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, v. 9, n. 17, p. 49-62, 2012.

SANTOS, W. L. P.; MORTIMER, E. F. Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência-Tecnologia-Sociedade) no contexto da educação brasileira. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, v. 2, n. 2, 133-162, 2000. https://doi.org/10.1590/1983-21172000020202

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências, v. 16, n. 1, p. 59-77, 2011.

SERRAO, L. F. S.; CATELLI, R.; CONRADO, A. L.; CURY, F.; LIMA, A. L. D. A Experiência de um Indicador de Letramento Científico. Cadernos de Pesquisa, v. 46, p. 334-361, 2016. https://doi.org/10.1590/198053143498

SILVA, M. B.; SASSERON, L. H. Alfabetização Científica e domínios do conhecimento científico: proposições para uma perspectiva formativa comprometida com a transformação social. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), v. 23, p. 1-20, 2021. https://doi.org/10.1590/1983-21172021230129

SOARES, M. Letramento e escolarização. In: RIBEIRO, V. M. (Org.). Letramento no Brasil. São Paulo: Gobal, 2003. p. 89-113.

SPEKTOR-LEVY, O.; EYLON, B. S.; SCHERZ, Z. Teaching scientific communication skills in science studies: Does it make a difference?. International Journal of Science and Mathematics Education, v. 7, n. 5, p. 875-903, 2009. https://doi.org/10.1007/s10763-009-9150-6

UNO, G. E.; BYBEE, R. W. Understanding the dimensions of biological literacy. BioScience, v. 44, n. 8, p. 553-557, 1994. https://doi.org/10.2307/1312283

WANG, H. H.; HONG, Z. R.; SHE, H.C.; SMITH, T. J.; FIELDING, J.; LIN, H. S. The role of structured inquiry, open inquiry, and epistemological beliefs in developing secondary students’ scientific and mathematical literacies. International Journal of STEM Education, v. 9, n. 1, p. 1-17, 2022. https://doi.org/10.1186/s40594-022-00329-z

WINDSCHITL, M.; THOMPSON, J.; BRAATEN, M. Beyond the scientific method: Model‐based inquiry as a new paradigm of preference for school science investigations. Science Education, v. 92, n. 5, p. 941-967, 2008. https://doi.org/10.1002/sce.20259

Downloads

Publicado em

10 de junho de 2023

Como Citar

OLIVEIRA, L. A. de .; SILVA, N. S. da . LETRAMENTO CIENTÍFICO A PARTIR DA INTERPRETAÇÃO DE RECURSOS IMAGÉTICOS E PRODUÇÃO DE EXPLICAÇÕES CIENTÍFICAS POR ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Revista Leia Escola, Campina Grande, v. 23, n. 1, p. 198–217, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8022106. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/leia/article/view/732. Acesso em: 13 abr. 2024.

Seção

Dossiê