PROGRAMA DE AÇÃO INTERDISCIPLINAR COMO MODELO DE LETRAMENTO CIENTÍFICO NA AMAZÔNIA

Autores

  • Mayara Duarte da Silva Programa Pós-Graduação em Sociedade, Natureza e Desenvolvimento Instituto de Biodiversidade e Floresta - Universidade Federal do Oeste do Pará https://orcid.org/0000-0002-2568-2816
  • Tânia Suely Azevedo Brasileiro Programa Pós-Graduação em Sociedade, Natureza e Desenvolvimento Instituto de Ciências da Educação - Universidade Federal do Oeste do Pará https://orcid.org/0000-0002-8423-4466

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8021721
Palavras-chave: Educação Científica, Ensino interdisciplinar, Relação Universidade-escola, Sutentabilidade, Amazônia

Resumo

 A necessidade de introduzir ou melhorar a educação científica desde a formação escolar é reconhecida nos países socioeconomicamente desenvolvidos, os quais priorizam a qualidade da educação dos seus cidadãos e dedicam máxima atenção às carreiras de natureza científica e tecnológica. No Brasil, ainda não possuímos uma tradição consistente de educação em ciências, o que repercute na luta para superação das desigualdades educacionais. O objetivo desse artigo é analisar a importância da educação científica a partir da óptica do Programa de Ação Interdisciplinar (PAI), uma inciativa de Letramento Científico para a educação básica e superior em um município da Amazônia brasileira. Trata-se de um estudo documental com abordagem qualitativa descritiva. O PAI se constitui como modelo de interlocução entre a Universidade e a Escola, empenhado em diminuir distâncias entre as duas realidades e garantir difusão plena do método científico. No contexto amazônico torna-se um referencial de educação científica com potencial para ser replicado em outros municípios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Maria da Conceição de. Complexidade, saberes científicos, saberes da tradição. 2. ed. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2010.

ARTAXO, P. As três emergências que nossa sociedade enfrenta: saúde, biodiversidade e mudanças climáticas. Estudos Avançados, v. 34, n. 100, 2020.

BERTOLDI, A. Alfabetização científica versus letramento científico: um problema de denominação ou uma diferença conceitual? Revista Brasileira de Educação, v. 25, 2020.

BRANCO, A. B. G.; BRANCO, E. P.; IWASSE, L. F. A.; NAGASHIMA, L. A. Alfabetização e letramento científico na BNCC e os desafios para uma educação científica e tecnológica. Revista Valore, v. 3 (Edição Especial): 702-713., Volta Redonda, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA). 2018. Disponível em: <https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/avaliacao-e-exames-educacionais/pisa>. Acesso em: 19 out. 2021.

BRAULE, Gilvânia Plácido; BRASILEIRO, Tânia Suely Azevedo. Universidade e sustentabilidade: um estado do conhecimento. In: BRASILEIRO, Tânia Suely Azevedo; PACÍFICO, Juracy Machado. Educação para a Amazônia: estudos e pesquisas em movimento. 1. ed. Santarém, PA: Rosivan Diagramação & Artes Gráficas, 2021.

CDSS, Comissão dos Determinantes Sociais da Saúde. Redução das desigualdades no período de uma geração: Igualdade na saúde através da ação sobre os seus determinantes sociais. Relatório Final da Comissão para os Determinantes Sociais da Saúde. Portugal, Organização Mundial da Saúde, 2010.

CELLARD, André. Análise documental. In: POUPART, Jean; DESLAURIERS, Jean-Pierre; GROULX, Lionei-H.; LAPERRIERE, Anne; MAYER, Robert; PIRES, Álvaro. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Tradução de Ana Cristina Nasser. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

CONRADO, D. M.; NUNES-NETO, N. F.; EL-HANI, C. N. Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP) na Educação Científica como Estratégia para Formação do Cidadão Socioambientalmente Responsável. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 14, n. 2, 2014.

CUNHA, R. B. Alfabetização científica ou Letramento Científico: interesses envolvidos nas interpretações da noção de scientific literacy. Revista Brasileira de Educação, v. 22 n. 68 jan.-mar., 2017.

CUNHA, R. B. O que significa alfabetização ou letramento para os pesquisadores da educação científica e qual o impacto desses conceitos no ensino de ciências. Ciências e Educação, v. 24, n. 1, p. 27-41, Bauru, 2018.

DAMKE, Ilda Righi. O processo do conhecimento na pedagogia da libertação: as idéias de Freire, Dussel e Fiori. Editora: Vozes. Ano: 1995.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra-Coleção Leitura, 1996.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetas de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

JACOBI, P. R. Mudanças climáticas e ensino superior: a combinação entre pesquisa e educação. Educar em Revista, Edição Especial, n. 3, p. 57-72, Curitiba, Brasil, Editora UFPR, 2014.

KRIPKA, R. M. L.; SCHELLER, M.; BONOTTO, D. L. Pesquisa Documental: considerações sobre conceitos e características na Pesquisa Qualitativa. In: 4º Congresso Ibero-Americano em investigação qualitativa, 12 a 14 de julho, 2016, Porto-Portugal. Anais. Porto: PPGE, 2015.

LAUGKSCH, R. Scientific literacy: a conceptual overview. Science Education, v. 84, n. 1, p. 71-94, Hoboken, 2000.

LIBERAL, S. S.; PICANÇO-DINIZ, D. L. W., 2014. Relatório de Gestão do Campus Universitário de Oriximiná - 2005 a 2013. Universidade Pública: a experiência inovadora de Oriximiná. Oriximiná - Pará, 2014.

MAMEDE, M.; ZIMMERMANN, E. Letramento científico e CTS na formação de professores para o ensino de ciências. In: VII Congreso Internacional sobre Investigación en la Didáctica de las Ciencias. Anais UNICAMP-SP: revista de investigación y experiencias didácticas, número extra, 2005.

MONTEIRO, C. A. A dimensão da pobreza, da fome e da desnutrição no Brasil. Estudos Avançados, v. 9, n. 24, p. 195-207, nov., São Paulo, 1994.

MOTTA-ROTH, D. Letramento científico: sentidos e valores. Notas de Pesquisa, v. 1, n. 0, p. 12-25, Santa Maria, RS, 2011.

MURI, Andriele Ferreira. Letramento Científico no Brasil e no Japão a partir dos resultados do PISA. 238f. 2017. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-graduação em Educação do Departamento de Educação do Centro de Teologia e Ciências Humanas da PUC-Rio, Rio de Janeiro, abril de 2017.

NASCIMENTO, F.; FERNANDES, H. L.; MENDONÇA, V. M. O ensino de ciências no Brasil: história, formação de professores e desafios atuais. Revista HISTEDBR, n. 39, p. 225-249, Campinas, set. 2010.

OCDE. Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Notas sobre o país. Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA): Resultados do PISA 2018. 2018. Disponível em: <https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/avaliacao-e-exames-educacionais/pisa>. Acesso em: 19 out. 2021.

OLIVEIRA, C. I. C. A educação científica como elemento de desenvolvimento humano: uma perspectiva de construção discursiva. Revista Ensaio, v.15, n. 02, p. 105-122, maio-ago, 2013.

ONU. Organização das Nações Unidas. Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. 2015. Disponível em: <https://brasil.un.org/sites/default/files/2020-09/agenda2030-pt-br.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2023.

RODRIGUES, T. D.; OLIVEIRA, F. F. G. S.; SANTOS, J. A. As pesquisas qualitativas e quantitativas na educação. Revista Prisma, v. 2, n. 1, p. 154-174, Rio de Janeiro, 2021.

SANTOS, H. C. C.; COELHO, A. L. A. L.; SILVA, A. W. P.; COELHO, C. Educação para a Sustentabilidade: um olhar para o futuro. In: XX Encontro Internacional sobre Gestão Ambiental e Meio Ambiente (ENGEMA), Anais. Butantã, São Paulo, 03 a 05 de dezembro de 2018.

SANTOS, Lucimara da Cunha; FREITAS, Mário Jorge Cardoso Coelho. Espaços de implantação da Educação para a Sustentabilidade (EpS): critérios de qualidade das escolas sustentáveis. In: SANTOS, Lucimara da Cunha; FREITAS, Mário Jorge Cardoso Coelho. Educação para a sustentabilidade: caderno pedagógico. 1. ed. – Florianópolis: UDESC: UAB: CEAD, 2014.

SILVA, Eldra Carvalho da. Avaliação cognitiva de alunos do ensino médio expostos ao método de ensino piramidal multivetorial. 2018. 128f. Tese (Doutorado) – Curso de Doutorado em Neurociências e Biologia Celular. Universidade Federal do Pará, Belém, Pará, 2018.

SILVA, Eldra Carvalho da. Projeto Ecobairro: Interações Ecológicas para a Sustentabilidade. Universidade Federal do Oeste do Pará, campus universitário de Oriximiná, 2022. Acervo próprio.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

SOUZA, D. V.; HARADA, K. A.; SILVA, E. C. Cartilha Informativa do Projeto Ecobairro. Universidade Federal do Oeste do Pará, campus universitário de Oriximiná, 2022. Acervo próprio.

SOUZA, Leandro Nicolino. Inserção da iniciação científica em nível escolar na base da pirâmide de formação acadêmica universitária: um sistema multivetorial de educação em ciência e tecnologia. 2017, 102 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Biociências, Universidade Federal do Oeste do Pará, Oriximiná, Pará. 2017.

TEIXEIRA, P. M. M. A educação científica sob a perspectiva da pedagogia histórico-crítica e do movimento C.T.S. no ensino de ciências. Ciência & Educação, v. 9, n. 2, p. 177-190, 2003.

VILAS-BÔAS, L. M. S.; OLIVEIRA, D. C. A Saúde nas Comunidades Ribeirinhas da Região Norte Brasileira: Revisão Sistemática da Literatura. In: 5º Congresso Ibero-Americano em investigação qualitativa, 12 a 14 de julho, 2016, Porto-Portugal. Anais. Porto: PPGE, 2016.

WINTER, Othon Cabo; MELO, Cristiano Fiorilo de. O Sputnik. In: WINTER, Othon Cabo; PRADO, Antônio Fernando Bertachini de Almeida (Org.). A conquista do espaço: do Sputnik à Missão Centenário. Agência Espacial Brasileira. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2007.

Downloads

Publicado em

10 de junho de 2023

Como Citar

SILVA , M. D. da .; BRASILEIRO , T. S. A. . PROGRAMA DE AÇÃO INTERDISCIPLINAR COMO MODELO DE LETRAMENTO CIENTÍFICO NA AMAZÔNIA. Revista Leia Escola, Campina Grande, v. 23, n. 1, p. 142–158, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8021721. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/leia/article/view/729. Acesso em: 22 maio. 2024.

Seção

Dossiê