Ressignificação da disciplina de libras em uma universidade federal de Mato Grosso do Sul: retrato do antes e depois o decreto 5.626/05

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.10436643
Palavras-chave: Letras, Linguística, Ciências da Linguagem, Línguas estrangeiras, Ensino, Literatura

Resumo

O presente estudo tem como objetivo analisar a história da disciplina de Libras no curso de Pedagogia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Câmpus Pantanal – CPAN, no período anterior e posterior ao Decreto nº 5.626/2005 que a regulariza como disciplina curricular obrigatória nos cursos de formação de professores para o exercício do magistério.A seleção da referida instituição se fez pelo fato de que a mesma oferta o curso de Pedagogia desde antes o decreto 5.626/05, até os dias atuais. Para tanto, foram analisados os Projetos Pedagógicos de Curso (PPC) do curso de Pedagogia em um recorte temporal de 2000 a 2020, a fim de analisar como a disciplina vem sendo implantada no curso. Os resultados evidenciaram que no período anterior a publicação do decreto não havia disciplina de Libras, somente após a obrigatoriedade que o curso passou a oferecer a disciplina, apesar disso, a carga horária passou a ser diminuída a partir da atualização e vigor de cada PPC. Consideramos que a disciplina de Libras aparece no currículo com pouca visibilidade, assim apontamos para a necessidade de reformulação a organização da disciplina dentro do curso, a fim de formar professores capazes de atender as especificidades dos estudantes surdos na educação básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jakellinny Gonçalves de Souza Rizzo, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, Brasil. Doutoranda. Educação especial, educação de surdos e ensino de Libras; formação de professores e sexualidade.

Josiane Peres Gonçalves, UFMS

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Naviraí, MS, Brasil. Pós doutorado. Atua na área de Psicologia educacional e desenvolve pesquisa sobre processos de desenvolvimento humano, relações de gênero e sexualidade na área da educação.

Referências

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Diário Oficial da União [Internet]; Brasília; 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm Acesso em 03/02/2020.

BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União [Internet]; Brasília; 2005. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2005/decreto-5626-22-dezembro-2005-539842-publicacaooriginal-39399-pe.html Acesso em:15 fev. 2021.

CALIXTO, Hector Renan da Silveira. O ensino de libras na formação de professores: formas de perceber o surdo e a língua de sinais. Revista Interinstitucional Artes de Educar. Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 101-116, jan./abr. 2018.

CARVALHO JUNIOR, Euclides Alves de; SILVA, Elizabete Rodrigues da. Ensino superior da ESG e o convênio UFBA/PREMEN: permanência e reforma da LDB / BRASIL (1968/1996). Textura, v. 7, n. 13, p. 21–32, 2014.

CASTRO-GUZMÁN, W. Retos deldesarrolloprofesional para laintegración de lastecnologíasenlaeducación superior. Cuadernos de Investigación Educativa, v. 12, n. 2, p. 82–99,2021.

COOPER, R. Language planning and social change. Cambridge: Cambridge University Press. 1989

FACUNDO, Josiane Junia. VITALIANO, Célia Regina. Libras no curso de pedagogia: análise de fatores que interferem no processo de ensino-aprendizagem. Espaço pedagógico, Passo Fundo,v. 27, n. 3, p. 858-875, set./dez. 2020.

FEBVRE, Lucien. Profissões de fé à partida. In: FEBVRE, Lucien. Combates pela história. Lisboa: Editorial Presença, Lda. 1989.

FLICK, Uwe. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artimed, 2009.

FURTADO, Alessandra Cristina; BEZERRA, Giovani Ferreira; MOREIRA, Kênia Hilda. Pesquisas em História da Educação: problematizando o uso de arquivos, documentos e fontes. Patrimônio e Memória (UNESP), v. 15, n. 2, p. 530-556, 2019.

GOMES, Aline Fonseca; TEIXEIRA, Antonio Samuel Souza; SANTOS, Jacileny Bastos; JESUS, Jefferson Lima de. A didática do ensino superior: um estudo sobre o perfil do professor do curso de graduação em administração de instituições de ensino superior em Feira de Santana. Textura, v. 10, n. 18, p. 96–104, 2017.

IBGE, Fundação Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. Censo Demográfico 2010. Disponível em: <http://www.censo2010.ibge.gov.br>. Acesso em 04/02/2020.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de. Um pouco da história das diferentes abordagens na educação de surdos. Cadernos Cedes, v. 19, n. 46, set. 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32621998000300007. Acesso em: 12 jul. 2020.

LODI, Ana Claudia Balieiro; LACERDA, Cristina Broglia Feitosa. A inclusão escolar bilíngue de alunos surdos no ensino infantil e fundamental: princípios, breve histórico e perspectivas. In: ______. Uma escola duas línguas: letramento em língua portuguesa e língua de sinais nas etapas iniciais de escolarização. Porto Alegre: Editora Mediação, 2009. p. 7-32.

MINAYO, Maria Celília de Souza. Ciência, técnica e arte: o desafio da Pesquisa Social. In: MINAYO, Maria Celília de Souza. (Org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2002, p. 9-29.

NORA, Andreza. Um histórico das políticas linguísticas para surdos sinalizantes: da lei de Libras ao movimento em prol da escola bilíngue. RevInterletras. v. 25, n. 6, 2017.

PEREIRA, Kylzia Andréa Azevedo. A Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) no curso de pedagogia: qual o impacto que a inserção dessa disciplina pode gerar na educação de surdos. Dissertação de mestrado em Ciências da Linguagem. Universidade Católica de Pernambuco. Recife, 2020.

QUADROS, Ronice Müller de. Educação de surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre. Artes Médicas. 1997.

RODRIGUES, Maria Lucia; LIMENA, Rodrigues e Limena. (Org.). Metodologias multidimensionais em ciências humanas. Brasília, DF: Liber Livro, 2006.

SEIXAS, Pablo Sousa; COELHO-LIMA,Fellipe; SILVA, Suzany Gadelha; YAMAMOTO; Oswaldo Hajime. Projeto Pedagógico de Curso e formação do psicólogo: uma proposta de análise. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, SP, v. 17, n. 1, p. 113-122, jan./jun. 2013.

SKLIAR, Carlos (org.). A Surdez. 3. Ed. Porto Alegre: Mediação, 2005.

Downloads

Publicado em

30 de dezembro de 2023

Como Citar

RIZZO, J. G. de S.; GONÇALVES, J. P. Ressignificação da disciplina de libras em uma universidade federal de Mato Grosso do Sul: retrato do antes e depois o decreto 5.626/05. Revista Letras Raras, Campina Grande, v. 12, n. 3, p. 109–124, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10436643. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/RLR/article/view/478. Acesso em: 13 abr. 2024.

Seção

Artigos de temas livres