Resignificación de la asignatura Libras en una universidad federal de Mato Grosso do Sul: un antes y un después del Decreto 5.626/05

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.10436657
Palavras-chave: Disciplina de Libras, Decreto 5626/05, Pedagogía

Resumo

El presente estudio tiene como objetivo analizar la historia de la asignatura Libras en el curso de Pedagogía de la Universidad Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Câmpus Pantanal – CPAN, en el período anterior y posterior al Decreto nº 5.626/2005 que la regulariza como currículo. materia obligatoria en los cursos de formación de profesores para ejercer la docencia La selección de esa institución se hizo debido a que las mismas ofrecen el curso de Pedagogía desde antes del decreto 5.626/05, hasta la actualidad. Para ello, se analizaron los Proyectos Pedagógicos de Curso (PPC) de la carrera de Pedagogía en un marco temporal de 2000 a 2020, con el fin de analizar cómo se ha implementado la disciplina en la carrera. Los resultados arrojaron que en el periodo previo a la publicación del decreto no existía disciplina en Libras, solo a partir de la obligatoriedad del curso se comenzó a ofrecer la disciplina, a pesar de ello, la carga de trabajo comenzó a disminuir a partir de la actualización y vigor de cada uno. PPC. Consideramos que la disciplina Libras aparece en el currículo con poca visibilidad, por lo que apuntamos la necesidad de reformular la organización de la disciplina dentro del curso, con el fin de formar profesores capaces de atender las especificidades de los alumnos sordos en la educación básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jakellinny Gonçalves de Souza Rizzo, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Federal University of Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, Brazil. Doctoral student. Special education, education for the deaf and teaching Libras; teacher training and sexuality.

Josiane Peres Gonçalves, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Federal University of Mato Grosso do Sul, Naviraí, MS, Brazil. Post doctoral. Works in the area of educational psychology and develops research on human development processes, gender relations and sexuality in the field of education.

Referências

AGUIAR, Girlaine Felisberto de Caldas. Ensino de libras para aprendizes ouvintes: a injunção e o espaço como dimensões ensináveis do gênero instrução de percurso. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós ­ Graduação em Linguagem e Ensino da Universidade Federal de Campina Grande. 2019. Disponível em: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/bitstream/riufcg/5996/3/GIRLAINE%20FELISBERTO%20DE%20CALDAS%20AGUIAR%20-%20DISSERTA%c3%87%c3%83O%20PPGLE%20CH%202019.pdf. Acesso em: 02 out. 2023.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Diário Oficial da União [Internet]; Brasília; 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acesso em 03 fev. 2020

BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União [Internet]; Brasília; 2005. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2005/decreto-5626-22-dezembro-2005-539842-publicacaooriginal-39399-pe.html. Acesso em: 15 fev. 2021.

CALIXTO, Hector Renan da Silveira. O ensino de libras na formação de professores: formas de perceber o surdo e a língua de sinais. Revista Interinstitucional Artes de Educar. Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 101-116, 2018.

CARVALHO JUNIOR, Euclides Alves de; SILVA, Elizabete Rodrigues da. Ensino superior da ESG e o convênio UFBA/PREMEN: permanência e reforma da LDB / BRASIL (1968/1996). Textura, v. 7, n. 13, p. 21–32, 2014.

CASTRO-GUZMÁN, W. Retos deldesarrolloprofesional para laintegración de lastecnologíasenlaeducación superior. Cuadernos de Investigación Educativa, v. 12, n. 2, p. 82–99, 2021.

COOPER, Robert. Language planning and social change. Cambridge: Cambridge University Press. 1989.

FACUNDO, Josiane Junia. VITALIANO, Célia Regina. Libras no curso de pedagogia: análise de fatores que interferem no processo de ensino-aprendizagem. Espaço pedagógico, Passo Fundo,v. 27, n. 3, p. 858-875, set./dez. 2020.

FEBVRE, Lucien. Profissões de fé à partida. In: FEBVRE, Lucien. Combates pela história. Lisboa: Editorial Presença, Lda. 1989.

FLICK, Uwe. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artimed, 2009.

FURTADO, Alessandra Cristina; BEZERRA, Giovani Ferreira; MOREIRA, Kênia Hilda. Pesquisas em História da Educação: problematizando o uso de arquivos, documentos e fontes. Patrimônio e Memória (UNESP), v. 15, n. 2, p. 530-556, 2019.

GOMES, Aline Fonseca; TEIXEIRA, Antonio Samuel Souza; SANTOS, Jacileny Bastos; JESUS, Jefferson Lima de. A didática do ensino superior: um estudo sobre o perfil do professor do curso de graduação em administração de instituições de ensino superior em Feira de Santana. Textura, v. 10, n. 18, p. 96–104, 2017.

IBGE, Fundação Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. Censo Demográfico 2010. Disponível em: http://www.censo2010.ibge.gov.br. Acesso em: 04 fev. 2020.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de. Um pouco da história das diferentes abordagens na educação de surdos. Cadernos Cedes, v. 19, n. 46, set. 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32621998000300007. Acesso em: 12 jul. 2020.

LODI, Ana Claudia Balieiro; LACERDA, Cristina Broglia Feitosa. A inclusão escolar bilíngue de alunos surdos no ensino infantil e fundamental: princípios, breve histórico e perspectivas. In: ______. Uma escola duas línguas: letramento em língua portuguesa e língua de sinais nas etapas iniciais de escolarização. Porto Alegre: Editora Mediação, 2009.

MINAYO, Maria Celília de Souza. Ciência, técnica e arte: o desafio da Pesquisa Social. In: MINAYO, Maria Celília de Souza. (Org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2002.

NORA, Andreza. Um histórico das políticas linguísticas para surdos sinalizantes: da lei de Libras ao movimento em prol da escola bilíngue. RevInterletras. v. 25, n. 6, 2017.

PEREIRA, Kylzia Andréa Azevedo. A Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) no curso de pedagogia: qual o impacto que a inserção dessa disciplina pode gerar na educação de surdos. Dissertação de mestrado em Ciências da Linguagem. Universidade Católica de Pernambuco. Recife, 2020.

QUADROS, Ronice Müller de. Educação de surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artes Médicas. 1997.

RODRIGUES, Maria Lucia; LIMENA, Rodrigues e Limena. Metodologias multidimensionais em ciências humanas. Brasília, DF: Liber Livro, 2006.

SEIXAS, Pablo Sousa; COELHO-LIMA,Fellipe; SILVA, Suzany Gadelha; YAMAMOTO; Oswaldo Hajime. Projeto Pedagógico de Curso e formação do psicólogo: uma proposta de análise. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, SP, v. 17, n. 1, p. 113-122, jan./jun. 2013.

SKLIAR, Carlos. A Surdez. 3. Ed. Porto Alegre: Mediação, 2005.

Downloads

Publicado em

30 de dezembro de 2023

Como Citar

RIZZO, J. G. de S.; GONÇALVES, J. P. Resignificación de la asignatura Libras en una universidad federal de Mato Grosso do Sul: un antes y un después del Decreto 5.626/05. Revista Letras Raras, Campina Grande, v. 12, n. 3, p. 114–130, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10436657. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/RLR/article/view/2115. Acesso em: 13 abr. 2024.

Seção

Artigos de temas livres