NEUROCIÊNCIA E LINGUAGEM

CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO DE LEITURA

Autores

Palavras-chave: Neurociência, Ensino, Leitura, Professor

Resumo

Associar os estudos da linguagem com a neurociência tem gerado descobertas importantes em relação ao funcionamento linguístico, no cérebro, especialmente no que diz respeito aos processos de compreensão e de ensino da leitura.  Com o objetivo de analisar as contribuições da neurociência para a formação de professores de Língua Portuguesa nos cursos de Letras, e refletir sobre as suas implicações no ensino da leitura, este artigo contou com o aporte teórico da Neurociência: Damásio (2004), Dehaene (2012), Salles e Corso (2016); e da Linguagem: Kleiman (2001), Kato (2007) e Solé (2014). Trata-se de uma pesquisa exploratória descritiva de abordagem qualitativa, em que foram analisadas as estratégias de ensino de leitura, adotadas pelos professores colaboradores da pesquisa, comparadas às áreas e atividades cerebrais usadas durante o processo de leitura, refletindo sobre a necessidade de se pensar em cognição e aprendizagem de forma conjunta, no intuito de tornar o processo de ensino-aprendizagem da leitura mais significativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 7 ed. Lisboa: Persona Edições, 2011.

BORTONI-RICARDO, S. M. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde/MS Resolução 453/12 Sobre Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisa envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, 10 de maio de 2012. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2012/12_jun_resolucao453.html. Acesso em: 20 de jan. de 2020.

CARVALHO, F. A. H de. Neurociências e Educação: uma articulação necessária na formação docente. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 8 n. 3, p. 537-550, nov.2010/fev.2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tes/a/jScBCkB8ZwsGK3f9kZLgQmk/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 26 de ago. de 2021.

CAVALCANTE, C. G; CASTRO, J. A. R. A neurociência cognitiva e um passeio pelos currículos dos cursos de licenciatura. II Congresso Internacional de Estudos em Linguagem. UEPG. Ponta Grossa, 2017.

DAMASIO, A. O Cérebro e a Linguagem. Scientific American. Ano XIII Nº143 – Dezembro, 2004.

DEHAENE, S. Os neurônios da leitura: como a ciência explica nossa capacidade de ler. Tradução de Leonor Scliar-Cabral. Porto Alegre: Penso, 2012.

DIJK, T. A. van. Discurso e Contexto: uma abordagem sociocognitiva. (Tradução: Rodolfo Ilari). SP: Editora Contexto, 2012.

DESLAURIERS, J. P; KÉRISIT, M. O delineamento da pesquisa qualitativa. In A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos / tradução de Ana Cristina Nasser. 4 ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2016.

ECCHELI, S. D. Motivação como prevenção da indisciplina. Educar, Curitiba, n.32, jan. 2008.

GONÇALVES, M. S. O mundo na sala de aula: intertextualidade nos anos finais do ensino fundamental. 1 ed. São Paulo: Parábola, 2017.

GROSSI, M. G. R; LOPES, A. M.; COUTO, P. A. A neurociência na formação de professores: um estudo da realidade brasileira. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 23, n. 41, 11, 2014. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/821. Acesso em: 26 de agosto de 2021.

KATO, M. A. O aprendizado da leitura. 6 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

KLEIMAN, A. Oficina de leitura: teoria e prática. São Paulo: Pontes: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1993.

KLEIMAN, A. Leitura e pesquisa. 2 ed. São Paulo: Pontes, 2001.

MAIA, H. Funções cognitivas e aprendizado escolar. In.: MAIA, Heber (Org.). Neurociências e desenvolvimento cognitivo. 2. ed. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2011. p. 55-62. (Coleção Neuroeducação, 2).

PEGADO, F. Aspectos cognitivos e bases cerebrais da alfabetização: um resumo para o professor. In NASCHOLD, A.C; PEREIRA, A; GUARESI, R; PEREIRA, V.W (org). Aprendizado da leitura e da escrita: a ciência em interfaces / [recurso eletrônico]. – Natal: Edufrn, 2015.

POZO, J. I. Aprendizes e mestres: a nova cultura da aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2002.

RELVAS, M.P. Neurociência na prática pedagógica: quero educar. Rio de Janeiro: Walk, 2018.

SALES, J.F. de; CORSO, H.V. Preditores neuropsicológicos da leitura. In: SALES, J.F de; HAASE, V.G; MALLOY-DINIZ, L. F. Neuropsicologia do desenvolvimento: infância e adolescência. Porto Alegre: Artmed, 2016.

SARMIENTO, E.L.P; GARRIDO, L.M.M; CONDE, C; TOMAZ, C. Emoção e Memória: interrelações psicobiológicas. Brasília médica, Brasília, v. 44, p. 24-39. 2007.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura [recurso eletrônico-ebook]. Tradução: Claudia Schilling; revisão técnica: Maria das Graças Souza Horn. – 6 ed. – Porto Alegre: Penso, 2014.

SOUZA, L.F.N.I de. Estratégias de aprendizagem e fatores motivacionais relacionados. Educ. rev., 2010, no.36, p.95-107.

VENTURA, D. F. Um Retrato da Área de Neurociência e Comportamento no Brasil. Psicologia: Teoria e Pesquisa [on line]. 2010, Vol. 26 n. especial, pp. 123-129. Acesso em dez. de 2021. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0102-37722010000500011>

Downloads

Publicado em

6 de abril de 2024

Como Citar

DANTAS, L. P. A. .; BELINI, R. G. de C. . NEUROCIÊNCIA E LINGUAGEM: CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO DE LEITURA. Revista Leia Escola, Campina Grande, v. 21, n. 4, p. 93–107, 2024. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/leia/article/view/2323. Acesso em: 20 jul. 2024.

Seção

Dossiê