IDENTIDADE DOCENTE NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE INGLÊS

UM SISTEMA ADAPTATIVO COMPLEXO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.10446105
Palavras-chave: Identidade profissional, Sistemas adaptativos complexos, Crenças

Resumo

Muito se tem escrito sobre a formação inicial de professores, mas poucos estudos abordam o tema sob o paradigma da complexidade. Portanto, neste artigo objetivamos mostrar o desenvolvimento complexo da identidade docente na formação inicial de professores de inglês (Hall, 2006; Pimenta, 2012; Resende, 2009). Ademais, o papel das crenças é fundamental para essa construção (Barcelos, 2006a). Assim, analisamos as trajetórias de nove estudantes do curso de Licenciatura em Letras - Língua Inglesa, do Campus Bragança, da Universidade Federal do Pará, durante quatro semestres de estágio supervisionado. Os estudos dos Sistemas Adaptativos Complexos (Larsen-Freeman; Cameron, 2008 entre outros) auxiliaram na compreensão da construção da identidade profissional. Adotamos como métodos a pesquisa narrativa e o estudo de caso em uma perspectiva etnográfica. Os resultados mostraram que a emergência da identidade docente como um sistema adaptativo complexo (SAC) ocorre, principalmente, pela intersecção do sistema crenças, que atua como dinamizador do sistema aprendizagem-ensino (SAE), com outros sistemas aninhados que colaboram para a construção de saberes e competências docentes. A interação entre as identidades de aluno e de professor desvelou possibilidades e novas condições iniciais que se transformam em diversas trajetórias para o desenvolvimento da identidade profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANGROSINO, M. Etnografia e observação participante. Porto Alegre: Artmed, 2009.

ARAGÃO, R.C.; CAJAZEIRAS, R.V. Emoções, crenças e identidades na formação de professores de inglês. Caminhos em Linguística Aplicada, v. 16, n. 2, 1º sem. (2017).: http://periodicos.unitau.br/ojs/index.php/caminhoslinguistica/article/view/2212.

BARCELOS, A.M.F. Cognição de professores e alunos: tendências recentes na pesquisa de crenças sobre ensino e aprendizagem de línguas. In: BARCELOS, A.M.F.; VIEIRA-ABRAHÃO. M.H. (orgs). Crenças e ensino de línguas: foco no professor, no aluno e na formação de professores. (15-42). Campinas: Pontes, 2006a.

BARCELOS, A.M.F. Narrativas, crenças e experiências de aprender inglês. Linguagem & Ensino, v.9, n.2, 145-175. 2006b. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/rle/article/view/15642 .

BARCELOS, A.M.F. Reflexões acerca da mudança de crenças no ensino e aprendizagem de línguas. Rev. Brasileira de Linguística Aplicada, v. 7, n. 2. 2007. em: https://www.scielo.br/j/rbla/a/qfzDkyppVRGDMQWCGm6K9SQ/?format=pdf&lang=pt.

BARCELOS, A.M.F. Student teachers’ beliefs and motivation, and the shaping of their professional identities. In: Kalaja, P.; Barcelos, A.M.F.; Aro, M.; Ruohotielyhty, M. Beliefs, agency and identity in foreign language learning teaching. (71-96). Londres: Palgrave MacMillan, 2015.

BAUMAN, Z. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BERTALANFFY, L.V. Teoria geral dos sistemas. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2009.

BOURDIEU, P. O senso prático. Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

BOHN, H.I. A formação do professor de línguas: a construção de uma identidade profissional. 2005. Disponível em: http://www.uel.br/pessoal/sreis/pages/arquivos/TEXTOS/IDENTIDADE%20DE%20PROFESSORES%20DE%20LINGUAS/2005_BOHN_Formacao%20do%20Professor%20de%20Linguas_construcao%20identidade%20profisisonal_Investigacoes.pdf.

BORGES, E.F.V. Por uma pedagogia complexa de línguas adicionais. In: Finardi, K.R.; Almeida, C.S.; Amorim, G.B. Linguística na contemporaneidade: temáticas e desafios. Campinas: Pontes, 2021.

BORGES, E. F.V. PAIVA, V.L.M.O. Por uma abordagem complexa de ensino de línguas. Linguagem & Ensino, v.14, n.2, 337-356, 2011. DOI: https://doi.org/10.15210/rle.v14i2.15396

BORGES, E.F.V. Um modelo caótico de desenvolvimento reflexivo da profissionalidade de professores de línguas. ReVEL, v. 14, n. 27, 364-388, 2016. Disponível em: http://www.revel.inf.br/files/860c6939db9da1692c64f5c283a9c376.pdf.

BRUNER, J. Atos de significação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

BURNS, A.; RICHARDS, J.C. The Cambridge guide to pedagogy and practice in second language teaching. New York: Cambridge, 2012.

GAIGNOUX, Kelly Cristina Marques. Emergência da identidade na formação inicial de professores de inglês: um estudo sob o viés da teoria da complexidade. Orientadora: Walkyria Alydia Grahl Passos Magno e Silva. 2020. 351 f. Tese (Doutorado em Letras) - Instituto de Letras e Comunicação, Universidade Federal do Pará, Belém, 2020. Disponível em: Acesso em:http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/14167.

GATTI, B. A. A formação inicial de professores para a educação básica: as licenciaturas. Revista USP, n. 100, p. 33-46, 2013-2014. Disponível em: DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i100p33-46.

GIDDENS, A. Modernidade e Identidade (tradução). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

JOHNSON. K. Second Language Teacher Education: a sociocultural perspective. New York: Taylor & Francis, 2009. E-book.

JORDÃO, C. M.; BÜHRER, E. A. C. A condição de aluno-professor de língua inglesa em discussão: estágio, identidade e agência. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 38, n. 2, p. 669-682, abr./jun. 2013. Disponível em: http://www.ufrgs.br/edu_realidade.

LARSEN-FREEMAN, D.; CAMERON, L. Complex Systems and Applied Linguistics. Oxford: Oxford, 2008.

LARSEN-FREEMAN, D. Complexity theory: the lessons continue. In: ORTEGA, L.; HAN, Z. Complexity theory and language development: in celebration of Diane Larsen-Freeman. (11-50). Amsterdam: John Benjamins, 2017.

LIBERALI, F. C. Formação crítica de educadores: questões fundamentais. Campinas: Pontes, 2018.

LIEBLICH, A.; TUVAL-MASHIACH, R.; ZILBER, T. Narrative research: reading, analysis, and interpretation. Thousand Oaks: Sage Publications, 1998.

LORENZ, E. N. Deterministic Nonperiodic Flow. Journal of the Atmospheric Sciences, v. 20, n. 2, 130-141. 1963. Disponível em: https://www.astro.puc.cl/~rparra/tools/PAPERS/lorenz1962.pdf.

MATTOS, C. L. G.; CASTRO, P. A. Etnografia e educação: conceitos e usos (online). Campina Grande: EDUEPB, 2011. Disponível em: SciELO Books http://books.scielo.org.

MATURANA, H.; VARELA, F. A Árvore do Conhecimento. São Paulo: Palas Athena, 2001.

MORIN, E. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

PAIVA, V.L.M.O. Autonomia e complexidade. Linguagem & Ensino, vol.9, n.1, 77-127. 2006. DOI: https://doi.org/10.15210/rle.v9i1.15628

PAIVA, V.L.M.O. Main second language acquisition theories: from structuralism to complexity. Revista Contexturas, n. 23 (112-124), 2014. Disponível em: http://www.apliesp.org.br/arquivos/14163420980.pdf

PAIVA, V.L.M.O. Linguagem como sistema complexo e multimodalidade. REVEL, v. 14, n. 26, 331-344, 2016. ISSN 1678-8931. Disponível em: http://www.revel.inf.br/files/f4638e86db421399cc09008b3f989bff.pdf.

PIMENTA, S. G. Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 2012.

PRAHBU, N.S. There’s no best method. Why? Tesol Quaterly, v. 24, n.2, 161-176, 1990. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/3586897

RESENDE, L.A.S. Identidade e aprendizagem de inglês sob a ótica do caos e dos sistemas complexos. 2009. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Letras da UFMG, Belo Horizonte. Disponível em: http://hdl.handle.net/1843/ALDR-7R5QAE.

RICHARDS, J.C.; RENANDYA, W.A. Methodology in language teaching: an anthology of current practice. New York: Cambridge, 2002.

SANT’ANA, J.S. Por uma porta entreaberta: o desenvolvimento da competência aplicada de profissionais do ensino de línguas. 2017. Tese de doutorado (Programa de PósGraduação em Linguística), Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/9489/SANT%27ANA_Juscelino_ 2018.pdf?sequence=6&isAllowed=y.

TARDIF, M. Saberes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2014.

TARDIF, M.; MOSCOSO, J. N. A noção de “profissional reflexivo” na educação: atualidade, usos e limites. Cadernos de Pesquisa, v. 48, n. 168, 388-411, 2018. ISSN: 1980-5314. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/5271.

VARGHESE, M.; Brian, M.; JOHNSTON, B.; JOHNSON, K. A. Theorizing language teacher identity: three perspectives and beyond. Journal of Language, Identity, and Education, v.4, n 1, 21–44, 2005. DOI:10.1207/s15327701jlie0401_2

VETROMILLE-CASTRO, R. A entropia sócio-interativa e a sala de aula de (formação de professores de) língua estrangeira: reflexões sobre um sistema complexo. In: Paiva, V.L.M.O.; Nascimento, M. (Org.) Sistemas adaptativos complexos: lingua(gem) e aprendizagem. (113-129). Belo Horizonte: Faculdade de Letras/FAPEMIG, 2011.

VETROMILLE-CASTRO, R.; DUARTE, B.G. Professores em formação ou aprendizes de inglês? Identidade, complexidade e valores compartilhados. Polifonia, v. 25, n.37.2, 171-310, 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/4249

VIEIRA-ABRAHÃO, M. H. A. Crenças, pressupostos e conhecimentos de alunos professores de língua estrangeira e sua formação inicial. In: Vieira-Abrahão, M. H. (Org.). Prática de ensino de língua estrangeira: experiências e reflexões. (131-152). Campinas: Pontes e Arte Língua, 2004.

Downloads

Publicado em

31 de dezembro de 2023

Como Citar

GAIGNOUX , K. C. M. .; SILVA , W. M. e . IDENTIDADE DOCENTE NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE INGLÊS: UM SISTEMA ADAPTATIVO COMPLEXO. Revista Leia Escola, Campina Grande, v. 23, n. 2, p. 191–210, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10446105. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/leia/article/view/2143. Acesso em: 20 jul. 2024.

Seção

Dossiê