FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO BRASIL:

UMA PERSPECTIVA HISTÓRICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.10443709
Palavras-chave: Formação de Professores, Educação Profissional e Tecnológica, Legislação Educacional., Formação Continuada, Formação Inicial.

Resumo

Ao longo das últimas décadas, a  formação de professores/as da área específica da educação profissional tem sido alvo de políticas educacionais oscilantes, refletindo avanços e retrocessos. Este estudo se propõe a examinar esse cenário histórico por meio de dispositivos legais,  com o objetivo de discutir a formação de professores/as da Educação Profissional e Tecnológica (EPT), proporcionando uma reflexão acerca da importância tanto da formação continuada quanto da formação inicial. Utilizando uma abordagem exploratória e interpretativa, o artigo investiga o percurso educacional dos últimos cinquenta anos acerca da educação profissional e da necessária formação docente para essa modalidade de ensino. Os resultados apontam para a falta de políticas educacionais consistentes, o que prejudica a formação de professores/as da EPT. As constantes mudanças normativas, orientadas pelas políticas governamentais, destacam a urgência de uma discussão sobre a formação inicial e continuada de professores/as que atuam nessa modalidade de ensino. Este estudo ressalta a necessidade premente de diretrizes claras no campo da formação de professores/as.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARREIRO, C. B.; CAMPOS, V. S. de. Um estudo sobre requisitos de ingresso na docência para professores da Educação Profissional e Tecnológica de Institutos Federais. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 21, n. 71, p. 1510-1534, out./dez. 2021.

BELTRÃO, T. Reforma tornou ensino profissional obrigatório em 1971. Agência Senado, 2017. Disponível em https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/03/03/reforma-do-ensino-medio-fracassou-na-ditadura. Acesso 20 jun. 2022.

BRASIL. Decreto nº 2.208 de 17 de abril de 1997. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394/96. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d2208.htm Acesso em 22 jun. 2022.

BRASIL. Decreto nº 5.154 de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394/96. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5154.htm Acesso em 22 jun. 2022.

BRASIL. Lei nº 5.672 de 11 de agosto de 1971. Fixa diretrizes e bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5692.htm Acesso em 22 jun. 2022.

BRASIL. Lei nº 7.044 de 18 de outubro de 1982. Altera dispositivos da Lei nº 5.692/71, referentes a profissionalização do ensino de 2º grau. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1980-1987/lei-7044-18-outubro-1982-357120-publicacaooriginal-1-pl.html Acesso 23 jun. 2022.

BRASIL. Lei nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 14 dez. 2021.

BRASIL. Lei 11.892 de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm. Acesso em 15 dez. 2021.

BRASIL. Lei nº 11.741 de 16 de julho de 2008. Altera dispositivos da LDB 9.394/96 para redimensionar, institucionalizar e integrar as ações da educação profissional técnica de nível médio, da educação de jovens e adultos e da educação profissional e tecnológica. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11741.htm#art2 Acesso em 28 jun. 2022.

BRASIL. MP nº 764 de 26 de dezembro de 2016. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/mpv/mpv764.htm Acesso em 14 dez. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.415 de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis 9.394/96, 11.494/2007, a CLT; revoga a Lei 11.161/2005; e institui a política de fomento à implementação de escolas de ensino médio em tempo integral. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm Acesso em 14 dez. 2021.

BRASIL. Parecer nº 335 de 4 de junho de 1982. Registro dos professores habilitados segundo o Esquema I e II. Disponível em http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/ResultadoPesquisaObraForm.do?first=50&skip=122850&ds_titulo=&co_autor=&no_autor=&co_categoria=&pagina=2458&select_action=Submit&co_midia=2&co_obra=&co_idioma=1&colunaOrdenar=NU_TAMANHO&ordem=desc Acesso em 24 jun. 2022.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 6 de 20 de setembro de 2012. Define diretrizes curriculares nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio. Disponível em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=11663-rceb006-12-pdf&category_slug=setembro-2012-pdf&Itemid=30192 Acesso em 28 jun. 2022.

BRASIL. Resolução nº 2 de 1 de julho de 2015. Define as diretrizes curriculares nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Disponível em http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. Acesso em 23 nov. 2021.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 2 de 20 de dezembro de 2019. Define as diretrizes curriculares nacionais para a formação inicial de professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a formação inicial de professores da Educação Básica (BNC-Formação). Disponível em http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file. Acesso em 23 nov. 2021.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 1 de 5 de janeiro de 2021. Define as diretrizes curriculares nacionais gerais para a Educação Profissional e Tecnológica. Diário Oficial da União. https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-cne/cp-n-1-de-5-de-janeiro-de-2021-297767578 Acesso em 04 jul 2021.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 1 de 6 de maio de 2022. Institui as diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores da Educação Profissional Técnica de Nível Médio (EPTNM-Formação). Disponível em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=236781-rcp001-22&category_slug=maio-2022-pdf&Itemid=30192 Acesso em 07 jul. 2022.

BRASIL. MECSEG/FGV. Curso emergencial de licenciatura plena para graduação de professores de habilitações básicas: subsídios para formação pedagógica-módulos para professores. Novembro, 1978. Disponível em http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me002950.pdf Acesso 23 jun. 2022

BRZEZINSKI, I. Tramitação e desdobramentos da LDB/1996: embates entre projetos antagônicos de sociedade e de educação. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, p. 185-206, jul./out. 2010.

CIAVATTA, Maria. O ensino integrado, a politecnia e a educação omnilateral. Por que lutamos? Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 23, n. 1, p. 187-205, jan./abr. 2014. Disponível em https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9303 Acesso 30 set. 2022.

GATTI, B. A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação. v. 13, n. 37, p. 57-69, jan./abr. 2008.

GRABOWSKI, G. A reforma do “novo” ensino médio e a precarização da formação integral dos jovens. In: FERREIRA, L. et. al (orgs.). Trabalho Pedagógico na Educação Profissional e Tecnológica em diferentes contextos. Curitiba: Ed. CRV, 2021, p. 83-104.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9ed. São Paulo: Cortez, 2011.

KUENZER, A. Z. A formação de professores para o ensino médio: velhos problemas, novos desafios. Educ. Soc., Campinas, v. 32, n. 116, p. 667-688, jul./set. 2011.

MACHADO, L. R. de S. Diferenciais inovadores na formação de professores para a educação profissional. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, v.1, n. 1, p. 8 - 22. Brasília: MEC, SETEC, jun. 2008a.

MACHADO, L. R. de S. Formação de professores para a educação profissional e tecnológica: perspectivas históricas. In: Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica: Educação Superior em debate. Brasília, INEP, 2008b.

MACHADO, Lucília Regina de Souza. Formação docente para a educação profissional: limites e possibilidades de institucionalização. Cad. Pesq., São Luís, v. 26, n. 4, p. 200-216, out./dez. 2019. Disponível em http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/13061. Acesso em 27 dez. 2021.

MANFREDI, S. M. Educação Profissional no Brasil: atores e cenários ao longo da história. Jundiaí: Paco Editorial, 2016.

MINAYO, Maria Cecília de S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

MOURA, D. H; GARCIA, S. R; RAMOS, M. N. Educação Profissional e Técnica de nível médio integrada ao ensino médio. Documento Base. Brasília: MEC, 2007.

MOURA, D. H. Trabalho e formação docente na educação profissional. Coleção Formação Pedagógica, vol. III, Curitiba: IFPR-EAD, 2014.

PINTO, C. L. L; BARREIRO, C. B; SILVEIRA, D. do N. Formação Continuada de Professores: ampliando a compreensão acerca deste conceito. Revista Thema, v. 1, n. 7, p. 1 – 14, 2010.

RAMOS, Marise N.; FRIGOTTO, Gaudêncio. “Resistir é preciso, fazer não é preciso”: as contrarreformas do ensino médio no Brasil. Cadernos de Pesquisa em Educação – PPGE/UFES, Vitória, ES. a. 14, v. 19, p. 26-47, jul./dez. 2017.

ROMANOWSKI, J. P.; MARTINS, P. L. O. Formação continuada: contribuições para o desenvolvimento profissional dos professores. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 10, n. 30, p. 285-300, maio/ago. 2010.

Downloads

Publicado em

31 de dezembro de 2023

Como Citar

TUNES , E. O. de .; BARREIRO , C. B. . FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO BRASIL: : UMA PERSPECTIVA HISTÓRICA. Revista Leia Escola, Campina Grande, v. 23, n. 2, p. 25–42, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10443709. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/leia/article/view/2133. Acesso em: 13 abr. 2024.

Seção

Dossiê