Terapias farmacológicas para o melasma: avanços e desafios

Autores

  • Maria Luana Batista Bezerra Faculdades Integradas do Ceará - UniFIC
  • Maria Leidiana Alves de Lucena Faculdades Integradas do Ceará - UniFIC
  • Samuel Ilo Fernandes de Amorim Faculdades Integradas do Ceará - UniFIC
  • Elissandra Couras Angélico Faculdades Integradas do Ceará - UniFIC
Palavras-chave: uso de medicamentos, pele, tratamento farmacológico

Resumo

O melasma se caracteriza pelo escurecimento da pele, por meio de uma elevação dos níveis de melanina, promovendo uma hiperpigmentação. Ele diminui a autoestima, podendo contribuir para a automedicação. O presente trabalho teve como objetivo investigar as terapias farmacológicas para o tratamento do melasma. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica, com abordagem qualitativa, nas bases de dados LILACS,  SciELO e PUBMED. Foram utilizados os Descritores em Ciências da Saúde: “Uso de medicamentos”, “Pele” e “Tratamento farmacológico”. Nos últimos anos, foram desenvolvidos diversos estudos sobre as terapias farmacológicas, onde foram descobertos novos fármacos para o tratamento do melasma. Dentre os fármacos, está o ácido tranexâmico, entretanto, a explicação sobre a utilização ainda não é bem evidenciada. Outra substância que pode ser utilizada é a vitamina C, que está disponível em cremes e líquidos para uso facial. Essa vitamina pode ser utilizada junto à outras, como a vitamina A, B e E, por exemplo, a niacinamida é uma substância do grupo das vitaminas B. Nesse sentido, a hidroquinona apresenta benefícios que foram alvos de diversas pesquisas e geralmente é o tratamento base do melasma. Foi possível verificar que existem diversos tratamentos para o melasma disponíveis, tendo diversos avanços, como a identificação de possíveis fármacos para o tratamento dessa condição clínica. No entanto, ainda há diversos desafios, como necessidade de novas pesquisas sobre a eficácia e características dessas substâncias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARTZI, O. et al. The pathogenesis of melasma and implications for treatment. J Cosmet Dermatol, v. 20, n. 11, p.3432-3445, 2021.

AUSTIN, E.; NGUYEN, J. K.; JAGDEO, J. Topical Treatments for Melasma: A Systematic Review of Randomized Controlled Trials. J Drugs Dermatol, v. 1, n. 18, p.1-10, 2019.

BABBUSH, K. M.; BABBUSH, R. A.; KHACHEMOUNE, A. The Therapeutic Use of Antioxidants for Melasma. J Drugs Dermatol, v. 1, n. 19, p. 788-792, 2020.

BABBUSH, K. M.; BABBUSH, R. A. KHACHEMOUNE, A. Treatment of melasma: a review of less commonly used antioxidants. Int J Dermatol, v. 60, n. 2, p. 166-173, 2021.

BARBOSA, G. S. L. Manejo do melasma em mulheres adultas. Research, Society and Development, v. 10, n. 5, 2021.

BARBOSA, K. L.; GUEDES, M. R. M. Melasma: tratamento e suas implicações estéticas. Infarma: Ciências Farmacêuticas, v. 30, n. 2, 2018.

BARROS, M. D.; OLIVEIRA, R. P. A. Tratamento estético e o conceito de belo. Ciências Biológicas & de Saúde Unit, v. 3, n. 1, p. 65-74, 2017.

BRASIL. Resolução nº 616, de 25 de novembro de 2015. Disponível em: https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/33348675/do1-2015-11-27-resolucao-n- 616-de-25-de-novembro-de-2015- 33348662#:~:text=Define%20os%20requisitos%20t%C3%A9cnicos%20para,farmac

%C3%AAutico%20em%20estabelecimentosde%20sa%C3%BAde%20est%C3%A9ti ca. Acesso em: 08/04/2022.

CORTEZ, D. A. G. et al. O conhecimento e a utilização de filtro solar por profissionais da beleza. Ciênc. Saúde Coletiva, v. 21, n. 7, 2016.

CUNHA, I. G.; SILVA, C. P.; OLIVEIRA, G. B. B. Principais tratamentos do melasma. Humanidades & Tecnologia em Revista, v. 23, p. 1-4, 2020.

GOES, E. A. F.; PEREIRA, L. L. V. Melasma: diagnóstico e tratamento. Revista Científica, v. 1, n. 1, 2018.

JAGER, M. E. et al. O corpo como meio de aceitação e inserção social: contribuições a partir de Jeffrey Young. Bol. Psicol., v. 67, n. 146, 2017.

KIM, H. J. et al. Efficacy and Safety of Tranexamic Acid in Melasma: A Meta-analysis and Systematic Review. Acta Derm Venereol, v. 97, n. 7, p. 776-781, 2017.

KWON, S. H. et al. Melasma: Updates and perspectives. Exp Dermatol, v. 28, n. 6, p.704-708, 2019.

LOPONTE, L. G. Tudo isso que chamamos de formação estética: ressonâncias para a docência. Rev. Bras. Educ., v. 22, n. 69, 2017.

LUPATINI, E. O. et al. Medicamentos e pesquisa translacional: etapas, atores e políticas de saúde no contexto brasileira. Saúde Debate, v. 43, 2019.

MARTINS, R. S. G.; FERREIRA, Z. A. B. A importância dos procedimentos estéticos na autoestima da mulher. Id On Line, v. 14, n. 53, p. 443-453, 2020.

MCKESEY, J. TOVAR-GARZA, A.; PANDYA, A.G. Melasma Treatment: An Evidence- Based Review. Am J Clin Dermatol, v. 21, n. 2, p.173-225, 2020.

MELO, D. O.; CASTRO, L. L. C. A contribuição do farmacêutico para a promoção do acesso e uso racional de medicamentos essenciais no SUS. Ciênc. Saúde Colet., v. 22, n. 1, 2017.

MELO, J. R. R. et al. Automedicação e uso indiscriminado de medicamentos durante a pandemia da COVID-19. Cad. Saúde Pública, v. 37, n. 4, 2021.

MOTA, D. M. et al. Reações adversas a medicamentos no sistema de farmacovigilância do Brasil, 2008 a 2013: estudo descritivo. Cad. Saúde Pública, v. 35, n. 8, 2019.

NEAGU, N. et al. Melasma treatment: a systematic review. J Dermatolog Treat, v.33, n. 4, p.1816-1837, 2022.

NORMANDO, D. A estética e a percepção humana. Dental Press J. Orthod, v. 17, n. 5, 2012.

OLIVEIRA, M. R.; MACHADO, J. S. A. O insustentável peso da autoimagem: (re)apresentações na sociedade do espetáculo. Ciênc. Saúde Colet., v. 26, n. 7, 2021.

PURIM, K. S. M.; AVELAR, M. F. S. Fotoproteção, melasma e qualidade de vida em gestantes. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., v. 34, n. 5, 2012.

RAJANALA, S.; MAYMONE, M. B. C.; VASHI, N. A. Melasma pathogenesis: a review of the latest research, pathological findings, and investigational therapies. Dermatol Online J, v. 15, n. 10, 2019.

RIVERA, J. G. B. et al. Impacto da automedicação de fármacos benzodiazepínicos. Brazilian Applied Science Review, v. 5, n. 4, 2021.

RUFINO, E. S.; GUIMARÃES, P. M.; IZOLANI, O. Tratamento estético para o melasma: revisão de literatura. Brazilian Journal of Sugery and Clinical Research, v. 30, n. 2, p. 71-74, 2020.

SARKAR R, BANSAL A, AILAWADI P. Future therapies in melasma: What lies ahead?. Indian J Dermatol Venereol Leprol, v. 86, n. 3, p. 8-17, 2020.

SOARES, K. C. C. et al. Bioequivalência de medicamentos tópicos dermatológicos: o cenário brasileiro e os desafios para a vigilância sanitária. Ciênc. Saúde Coletiva, v. 20, n. 11, 2015.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Melasma. Disponível em: https://www.sbd.org.br/doencas/melasma/. Acesso em: 08/04/2022.

SOUZA, J. C.; LOPES, L. H. B.; SOUZA, V. C. R. P. A dimensão do belo no tempo. Rev. Psicol. Saúde, v. 10, n. 3, 2018.

SOUZA, O. A.; CAVALCANTI, D. S. P. Toxina botulínica tipo a: aplicação e particularidades no tratamento da espasticidade, do estrabismo, do blefaroespasmo e de rugas faciais. Saúde & Ciência Em Ação - Revista Acadêmica do Instituto de Ciências da Saúde, v. 2, n. 2, 2016.

STREHLAU, V. I.; CLARO, D. P.; LABAN NETO, S. A. A vaidade impulsiona o consumo de cosméticos e de procedimentos estéticos cirúrgicos nas mulheres? Uma investigação exploratória. Rev. Adm., v. 50, n. 1, 2015.

URASAKI, M. B. M. Conhecimento, atitude e práticas da equipe de saúde sobre melasma na gravidez. Av Enferm., v. 36, n. 1, p. 40-49, 2018.

Downloads

Publicado em

9 de julho de 2023

Como Citar

BEZERRA, M. L. B.; LUCENA, M. L. A. de; AMORIM, S. I. F. de; ANGÉLICO, E. C. Terapias farmacológicas para o melasma: avanços e desafios. Journal of Multidisciplinary Sustainability and Innovation, Iguatu, v. 1, n. 1, p. 31–36, 2023. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/jmsi/article/view/842. Acesso em: 22 maio. 2024.

Seção

Saúde e Inovação

Categorias

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)