As convergências midiáticas em Wandavision: revisionismo e contaminação do gênero

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.10439133
Palavras-chave: WandaVision, Marvel, Convergência, Contaminação midiática, Teoria literária

Resumo

Trata-se da análise das relações de convergência de mídias na minissérie WandaVision (2021) em suas contaminações midiáticas. Após construir um universo compartilhado, a Marvel parece entrar no que Brogan Morris (2021) chama de “fim dos filmes de super-heróis” e “tendência revisionista”, em que após sua exaustão, o gênero passa a explorar novas possibilidades, levando à maturação e revisionismo deste. Dentre as novas abordagens, percebemos em WandaVision, desdobramento do Universo Cinematográfico Marvel para o streaming, a contaminação desta pela tese sobre o conto proposta por Ricardo Piglia (2004), que estabelece que o conto conta duas histórias – uma em relato simples, e uma que consiste “num relato secreto, narrado de modo elíptico e fragmentário” (2004, p.90). Porém, apesar de se estruturar segundo as definições de Piglia, a minissérie rompe com outras convenções sobre o conto, como a de que o conto deve ser lido “de uma só assentada” (POE, s/d, p. 135),  pois  WandaVision  teve episódios lançados semanalmente, impedindo os telespectadores de “maratonar” a temporada e levando-os a indagar e interagir sobre pistas deixadas nos episódios sobre o que realmente acontecia na história, ampliando o que Jenkins (2013) chama de  “cultura participativa”. Também por estas rupturas, encaramos a minissérie como um exemplo de “contaminação”, tal como Baetens (2018) propõe ao estudar a romancização, não em um sentido “danoso”, mas de inovação – contaminado, mas não transformado ou remediado, nos termos de Rajewski (2005). Destarte, buscamos ilustrar o funcionamento das estruturas do conto como forma de contar “uma outra história” ao longo da série.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado em

30 de dezembro de 2023

Como Citar

MEDEIROS, A. A. de; NASCIMENTO, J. da S. As convergências midiáticas em Wandavision: revisionismo e contaminação do gênero. Revista Letras Raras, Campina Grande, v. 12, n. 3, p. 162–180, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10439133. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/RLR/article/view/1013. Acesso em: 19 abr. 2024.

Seção

Artigos de temas livres