O EMPREGO DE “O MESMO” EM REDAÇÕES MODELO ENEM: UMA ANÁLISE SEMIOLINGUÍSTICA ALIADA AOS PRESSUPOSTOS DA LINGUÍSTICA FUNCIONAL CENTRADA NO USO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.10065238
Palavras-chave: Semiolinguística do Discurso. LFCU. “O mesmo”.

Resumo

Este estudo se desenvolve, a partir da compreensão da importância de um trabalho linguístico que analisa a língua em uso, verificando as motivações discursivas de usos linguísticos inovadores, como a construção anafórica o mesmo (e suas variações). Assim, fundamentados nos aparatos teóricos da Teoria Semiolinguística do Discurso, de Patrick Charaudeau, e da Linguística Funcional Centrada no Uso, partimos da hipótese de que a necessidade de um recurso diferente de coesão estimula o uso de o mesmo com função anafórica, embora as gramáticas tradicionais como Bechara (2009) e Cunha e Cintra (2013) não prevejam esse uso. Nosso objetivo é, então, compreender, a partir de uma análise qualitativa, as motivações e as organizações gramaticais do emprego da construção conectora o mesmo em textos dissertativos-argumentativos modelo Enem. Propomos, portanto, estudar como a busca por uma performance, com base na projeção de um ethos (CHARAUDEAU, 2018), aliada aos processos de analogia e categorização (BYBEE, 2016), propiciam essa ocorrência linguística nesses textos produzidos em contextos altamente monitorados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Marchon, Universidade Federal do Espírito Santo - Ufes

Possui graduação em Letras - Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa - pela Faculdade de Filosofia Santa Dorotéia (2007), mestrado (2011) e doutorado (2017) em Letras Vernáculas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Desenvolveu pesquisa de pós-doutorado em Estudos da Linguagem, na Universidade Federal Fluminense (2020-2021). É Professora Adjunta do Departamento de Línguas e Letras da Universidade Federal do Espírito Santo e professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística da mesma universidade. É lider do Grupo de Pesquisa Elus - Estudos da Língua em Uso (UFES). Atua como pesquisadora dos seguintes grupos: Núcleo de Estudos do Português em Uso - PorUs (UFF); Grupo de Pesquisa Conectivos e Conexões de Orações - CCO (UFF); Centro Interdisciplinar de Análise do Discurso - Ciad-Rio (UFRJ). É filiada aos seguintes grupos de trabalho da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística (ANPOLL): Descrição do Português e Linguística do Texto e Análise da Conversação. Trabalha, principalmente, com os seguintes temas: funcionalismo; conexão de cláusulas e conectivos (macrorrelação de causalidade); argumentação; multimodalidade; ensino.

Giselle Coutinho, Universidade Federal Fluminense

É doutoranda pelo Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagem da Universidade Federal Fluminense (UFF). Mestre em Estudos de Linguagem pela mesma universidade, em que, durante o mestrado, foi bolsista CAPES. Completou a graduação em Letras/Literaturas- licenciatura pela Universidade Federal Fluminense no ano de 2018. Foi bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à docência (PIBID) também pela UFF sob a coordenação da Professora Doutora Denise Brasil Alvarenga Aguiar. Atua como professora de Língua Portuguesa e de Literatura no Colégio MV1. É membro do grupo de pesquisa em Semiolinguística - Leitura, fruição e ensino (GPS - LeiFEn/UFF/CNPq). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, atuando principalmente nos seguintes temas: semiolinguística, mídia, gêneros textuais, leitura, interpretação e escrita.

 

Referências

AMOSSY, Ruth (Org.) Imagens de si no discurso: a construção do ethos. – 2ª.ed., 3ª reimpressão. – São Paulo: Contexto, 2018.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 37.ed. revista, ampliada e atualizada conforme o novo Acordo Ortográfico. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). ENEM Redação 1999: Módulo 06: competência IV. Brasília, 1999.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A redação no Enem 2022: cartilha do participante. Brasília, 2022.

BYBEE, Joan. Língua, uso e cognição. Tradução de Maria Angélica Furtado da Cunha. São Paulo: Cortez Editora, 2016.

CHARAUDEAU, Patrick. O Ethos, uma estratégia do discurso político. In: Charaudeau, Patrick, Discurso Político. Tradução: Fabiana Komesu e Dilson Ferreira da Cruz – 2. Ed., 4ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2018.

CHARAUDEAU, Patrick. Um modelo sócio-comunicacional do discurso: entre situação de comunicação e estratégias de individualização. In: STAFUZZA, Grenissa; DE PAULA, Luciane (org.). Da análise do discurso no Brasil à análise do discurso do Brasil. Uberlândia: Edufu, 2010, p. 259-284.

CHARAUDEAU, Patrick. Identidade social e identidade discursiva, o fundamento da competência comunicacional. In: PIETROLUONGO, M. (org.). O trabalho da tradução. Rio de Janeiro: Contracapa, 2009, p.309-326.

CHARAUDEAU, Patrick. Linguagem e discurso: modos de organização. Coord. da equipe de trad. Ângela M. S. Corrêa; Ida Lúcia Machado. São Paulo: Contexto, 2008.

CHARAUDEAU, Patrick. Uma análise semiolinguística do texto e do discurso. In: PAULIUKONIS, Maria Aparecida Lino; GAVAZZI, Sigrid (orgs.) Da língua ao discurso – reflexões para o ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005, p. 11-29.

CHARAUDEAU, Patrick. Uma teoria os sujeitos da linguagem. In: MARI, Hugo; MACHADO, Ida Lucia; MELLO, Renato de. Análise do discurso: fundamentos e práticas. Belo Horizonte: Nad-FALE-UFMG, 2001.

CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. 6a ed. – Rio de Janeiro: Lexikon, 2013

GOLDBERG, Adele. Constructions: A Construction Grammar Approach to Argument Structure. Chicago, IL: Chicago University Press, 1995.

FURTADO DA CUNHA, Angélica. Funcionalismo. In: MARTELOTTA, Mario Eduardo (org). Manual de Linguística. 2. Ed., 4ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2016.

FURTADO DA CUNHA, Maria Angélica; BISPO, Edvaldo Balduíno; SILVA, José Romerito. Linguística Funcional Centrada no Uso: conceitos básicos e categorias analíticas. In: CEZARIO, Maria Maura; CUNHA, Maria Angélica Furtado. (Orgs). Linguística Centrada no Uso: uma homenagem a Mário Martelotta. Rio de Janeiro: Mauad x FAPERJ, 2013. Págs. 12-39.

JAKOBSON, Roman. Linguística e comunicação. 22.ed. Tradução de Izidoro Blikstein; José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 2010.

KOCH, Ingedore v.; ELIAS, Vanda Maria. Ler e escrever: estratégias de produção textual. São Paulo: contexto, 2009.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de textos de comunicação. Trad. Cecília P. de Souza-e-Silva e Décio Rocha. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2008.

NEVES, M. H. DE M. A análise funcionalista e o estabelecimento de quadros categoriais na gramática. Revista de Estudos da Linguagem, v. 20, n. 1, 30 jun. 2012.

PINHEIRO, Diogo; FERRARI, Lilian. Linguística funcional, linguística cognitiva e gramática de construções: mapeando o campo das abordagens cognitivo-funcionais. Revista Linguística, v 16, Número Especial Comemorativo, 2020, p. 595-621. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rl/article/view/21492. Acesso em: 28 jul 2023.

ROSÁRIO, I. C. (Org.). Introdução à Linguística Funcional Centrada no Uso: Teoria, Método e Aplicação. Niterói: EdUFF, 2022.

ROSÁRIO, Ivo da Costa; OLIVEIRA, Mariangela Rios de. Funcionalismo e abordagem construcional da gramática. Alfa Revista de Linguística, v. 60, n.2, 2016, p. 233-259. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/8007. Acesso em: 28 jul 2023.

Downloads

Publicado em

5 de novembro de 2023

Como Citar

MARCHON, A. H.; COUTINHO, G. de S. R.; REBELLO, I. O EMPREGO DE “O MESMO” EM REDAÇÕES MODELO ENEM: UMA ANÁLISE SEMIOLINGUÍSTICA ALIADA AOS PRESSUPOSTOS DA LINGUÍSTICA FUNCIONAL CENTRADA NO USO. Revista 15 de outubro, Campina Grande, v. 2, n. 1, p. 08–23, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10065238. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/r15o/article/view/920. Acesso em: 13 jun. 2024.

Seção

Dossiê