The didacticization of labor writing in the teacher training: course didactic sequence, learning through reviews

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.10459127
Palavras-chave: Didatization of labor writing, Teacher training, Didactic Sequence

Resumo

Mastery of a genre is a condition for employing it in the realization of a discourse project (BAKHTIN, 2003). However, in a school context, we still see a meaningless and lighthearted teaching approach, lacking a more systematic work as it provides a didactic sequence (SWIDERSKI; COSTA-HÜBES, 2009). In this direction, in this article, we reflect on teacher training from the didactic treatment given to the didactic sequence. Thus, we aimed to: 1st) to identify processes of didacticization of labor writing in the Didactic Sequence course: learning through reviews and 2nd) to analyze perspectives of teacher training that are refracted in the didacticization of the didactic sequence. For that, we consider theoretical notions about labor writing, didactic sequence and traditional paradigms and complexity in education. As for the methodology, it is a qualitative research of the documental analysis type, in whose data generation, we used a teaching plan. The results indicate that the didacticization of the didactic sequence is effective with a focus on teaching and the production of a review and not on the teaching device in question, as expected in a teacher training course, associating theory with the practice of the student.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renilson Nóbrega Gomes, Universidade Federal de Campina Grande - UFCG

PhD in Language and Teaching (UFCG), Master in Letters (UFRN), Postgraduate in Linguistics and Literature (UEPB), Educator Training (UEPB) and Text Linguistics and Teaching (UFRN), and Graduated in Letters (UEPB) . Teaches Portuguese in the teaching network of Tenório-PB and in the teaching network of Paraíba.

Williany Miranda da Silva, Universidade Federal de Campina Grande - UFCG

Full Professor at the Academic Unit of Letters and member of the Graduate Program in Language and Teaching (PPGLE) at the Federal University of Campina Grande, in the area of Linguistic Studies.

Referências

ARAÚJO, D. L. de. O que é (e como faz) sequência didática?. Entrepalavras, Fortaleza - ano 3, v. 3, n. 1, p. 322-334, jan/jul 2013.

ARCOVERDE, M. D. de L.; ARCOVERDE, R. D. de L. A escrita como processo. Campina Grande; Natal: UEPB/UFRN, 2007.

BAKHTIN, M. A interação verbal. In: BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução MachelLahud e Yara Frateschi Vieira. 6. ed. São Paulo: Hucitec, 1992. p. 110-127.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. Tradução feita a partir do francês por Maria Ermantina Galvão. Revisão da Tradução Marina Appenzeller. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000. p. 277-358.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BEHRENS, M. A; OLIARI, A. L. T. A evolução dos paradigmas na educação: do pensamento científico tradicional à complexidade. Diálogo Educ., Curitiba, v. 7, n. 22, p. 53-66, set./dez. 2007.

BEZERRA, M. A. Por que cartas de leitor na sala de aula? In: DIONÍSIO, A. et al. Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002. p. 208-216.

BRASIL. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Secretaria de Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

BRONCKART, J-P. Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. Tradução de Anna Rachel Machado e Maria de Lourdes Meirelles Matencio. Campinas, SP, Mercado de Letras, 2006.

CAVALCANTE, I. F. Leitura e produção de textos: da leitura para a escrita. Natal: MEC/SEDIS/UFRN, 2008.

CORDEIRO, G. S. Escrevendo Narrativas de aventuras de viagens na 3ª série do ensino fundamental. In: Anais da III Conferência de Pesquisa sócio-cultural. 2000. p. 1-18.

DOLZ, J.; NOVERRAZ, M.; SCHNEUWKY, B. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2011. p. 81-108.

FREITAS, F. I. O. Ensinando a argumentação no Ensino Médio a partir do trabalho com artigos de opinião. 2006. Dissertação (Mestrado em Linguagem e Ensino) – Universidade Federal de Campina Grande. Campina Grande.

GOMES, R. N. A didatização do gênero carta de leitor com foco na interação: uma proposta de ensino e aprendizagem de Língua Portuguesa. 210 f. 2019. Dissertação (Mestrado em Letras). Currais Novos-RN: Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

KLEIMAN, A. B. Professores e agentes de letramento: identidade e posicionamento social. Filologia e Linguística Portuguesa, v. 8, p. 409-424. 2006.

LE GOFF, J. Documento/monumento. In: Enciclopédia Einaudi. v. 1. memória-história. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1997. p. 95-106.

LOPES-ROSSI, M. A. G. Gêneros discursivos no ensino de leitura e produção de textos. In: KARWOSKI, A. M.; GAYDECZKA, B., BRITO, K. S. (orgs.). Gêneros textuais: reflexão e ensino. 2. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2006.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MOITA LOPES, L. P. Linguística Aplicada e vida contemporânea: problematização dos construtos que têm orientado a pesquisa. In: LOPES, L. P. M. (org.). Por uma linguística aplicada interdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 85-105.

PAIVA, V. L. M. O. Manual de pesquisa em estudos linguísticos. São Paulo: Parábola, 2019.

PAZ, A. M. de O. A escrita processual na prática dos registros de ordem e ocorrências na enfermagem hospitalar. In: SANTOS, D. dos; GALVÃO, M. A. M.; DIAS, V. C. de A. (orgs). Dizeres díspares: ensaios de literatura e linguística. João Pessoa: Ideia, 2010. p. 150-165.

REINALDO, M. A. G. de M. A Orientação para a Produção de Texto. In: DIONÍSIO, A. P.; BEZERRA, M. A. (orgas). O livro didático de português: múltiplos olhares. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001. p. 87-100.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. Porto alegre: Artes médicas, 1998.

SWIDERSKI, R. M. da S.; COSTA-HÜBES, T. da C. Abordagem sociointeracionista & sequência didática: relato de uma experiência. Línguas & Letras, vol. 10, n. 18, 1º sem. 2009.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Downloads

Publicado em

30 de dezembro de 2023

Como Citar

GOMES, R. N. .; SILVA, W. M. da. The didacticization of labor writing in the teacher training: course didactic sequence, learning through reviews. Revista Letras Raras, Campina Grande, v. 12, n. 3, p. 146–166, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10459127. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/RLR/article/view/2117. Acesso em: 19 abr. 2024.

Seção

Artigos de temas livres