A ESCRITA COMO FERRAMENTA DE ELABORAÇÃO DOS TRAUMAS EM A AMIGA GENIAL, DE ELENA FERRANTE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8412319
Palavras-chave: Psicanálise, Literatura, Escrita, Trauma, A amiga genial

Resumo

A Amiga Genial, o primeiro livro da tetralogia napolitana de Elena Ferrante, diz respeito à uma narrativa autobiográfica ficcional da personagem principal, Lenu, que devido ao trauma vivenciado pelo desaparecimento de sua melhor amiga, Lila, utiliza-se da ferramenta da escrita como uma forma de apaziguar a ausência e o luto dessa experiência, e eternizar sua vida por meio da produção artística. Por meio disso, com o suporte das teorias psicoanalíticas, eu busquei investigar os aspectos traumáticos narrados pela personagem em sua infância e adolescência, os quais foram fatores determinantes na construção de sua identidade, de sua relação consigo mesma e com o mundo. O objetivo deste trabalho é compreender o processo da perda de uma amiga como uma força motriz para a criação literária produzida por Lenu, narradora-personagem da história, que busca elaborar seu trauma por meio da escrita ao revisitar seu passado. Como fundamentação teórica, utilizou-se da noção do trauma em Freud e Winnicott (2004), a psicanálise e a crítica literária (2010) e o conceito de trauma transgeracional (2020), os quais serviram de suporte para investigar tais elementos na obra de Ferrante. Por consequência, a união de literatura e psicanálise nos permite visitar o mais íntimo dos personagens e adentrar temas inquietantes à natureza humana, proporcionados por Elena Ferrante nesta obra. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DACORSO, Stetina Trani de Meneses e. Psicanálise e crítica literária. Estud. psicanal., Belo Horizonte, n. 33, p. 147-154, jul. 2010. Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-34372010000100015&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 11 fev. 2023.

DANTAS, Tatianne Santos e MOSCHEN, Simone Zanon. Escrita, vestígio e ausência em A amiga genial de Elena Ferrante. Rev. Subj. [online]. 2019, vol.19, n.2, pp. 1-14. ISSN 2359-0769. http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v19i2.e9156. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2359-07692019000200004#:~:text=O%20trabalho%20da%20escrita%20liter%C3%A1ria,narradora%20com%20sua%20melhor%20amiga.>. Acesso em: 11 fev. 2023.

FERRANTE, Elena. A amiga genial: infância, adolescência / Elena Ferrante ; tradução: Maurício Santana Dias. – 1 ed. – São Paulo : Biblioteca Azul, 2015.

FULGENCIO, Leopoldo. A noção de trauma em Freud e Winnicott. Nat. hum. [online]. 2004, vol.6, n.2, pp. 255-270. ISSN 1517-2430. Disponível:<http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-24302004000200003>. Acesso em: 12 fev. 2023.

MAKOSSO, Alphonse Dorien, Chimamanda Ngozi Adichie’s Half of a Yellow Sun: A Transmitted Trauma (2019). International Journal of Linguistics, Literature and Translation (IJLLT), 2020, Disponível em: <https://ssrn.com/abstract=3546851>. Acesso em: 12 fev 2023.

Downloads

Publicado em

10 de setembro de 2023

Como Citar

MEDEIROS DANTAS, E. N. .; AMARAL, J. P. W. . A ESCRITA COMO FERRAMENTA DE ELABORAÇÃO DOS TRAUMAS EM A AMIGA GENIAL, DE ELENA FERRANTE. Revista 15 de outubro, Campina Grande, v. 1, n. 2, p. 87–94, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8412319. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/r15o/article/view/1032. Acesso em: 13 abr. 2024.

Seção

Artigos