OS MATERIAIS CONSTRUTIVOS DO EDIFICAR DE RECIFE E OLINDA

Autores

  • Juliana Cruz Doutora em Engenharia Civil pela UFPE, UNIBRA
Palavras-chave: história das construções, materiais construtivos, Olinda e Recife, rochas calcária e arenítica, argamassas de cal e pozolanas

Resumo

O estudo tem como finalidade contextualizar como foram estruturadas as edificações históricas de Recife e Olinda, e assim permitem compreender quais e de que maneira os materiais construtivos foram usados nestas edificações. Sob a ótica do contexto histórico se pode intervir no Patrimônio edificado compreendendo seus materiais e técnicas construtivas sem agredi-los e preservando-os a autenticidade, onde a compatibilidade dos materiais é a prerrogativa. O trabalho aborda um breve histórico do uso dos materiais pela humanidade. Em seguida, explana o contexto histórico dos materiais de construção de Olinda e Recife até fim do século XVIII.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Frederico Faria Neves. Manual de Conservação de cantarias: manual. Brasília: IPHAN, 2005.

ALVAREZ, J.. Alvenaria e argamassas anteriores ao Império Romano. In: 2° Congresso Nacional de Argamassas de Construção. Lisboa: 2007.

ALVAREZ, J; SEQUEIRA, C.; COSTA, M.. Ensinamentos a retirar do Passado Histórico das Argamassas. In: 1° Congresso Nacional de Argamassas de Construção. Lisboa: 2005.

ARAÚJO, Roberto A. Dantas de. O Ofício da Construção na Cidade Colonial: organização, materiais e técnicas (o caso pernambucano). vol. I e II. São Paulo: Tese de Doutorado em Arquitetura – Universidade de São Paulo, 2002.

BENEVOLO, Leonardo. Introdução à Arquitetura. São Paulo: Editora MestreJou, 1972.

CAMPOS, Maria Aparecida Nogueira; REIS, Alessandra Savazzini dos; TRISTÃO, Fernando Avancini; ROCHA-GOMES, Leila Verônica da. A utilização da cal conchifera em monumentos históricos do Espírito Santo. In: 2° Congresso Português de Argamassas de Construção. Lisboa: 2007.

CARASEK, H. Argamassas. In: IBRACON Materiais de Construção Civil e Princípios de Ciência e Engenharia de Materiais. 2° Atualizada e ampliada. ed. São Paulo: IBRACON, v. 2, 2010. Cap. 28, p. 893.

CARVALHO, Ayrton. Algumas notas sobre o uso da pedra na arquitetura religiosa no Nordeste. In: Revista do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde e Educação, 1942. p. 277 – 294.

COSTA, Francisco A. Pereira. Anais Pernambucanos: 1635 -1665. Recife: Arquivo Público Estadual, 1952. Vol.III. p. 417 - 421.

______. ______:1701 -1739. Recife: Arquivo Público Estadual, 1953. vol. V. p.128 – 132 e p. 437 – 445.

______. ______: 1818-1823. Recife: Arquivo Público Estadual, 1962. vol. VIII. p. 499.

______. ______: 1824 - 1833. Recife: Arquivo Público Estadual, 1965. vol. IX. p. 351 – 354.

______. ______: 1834 -1850. Recife: Arquivo Público Estadual, 1985. vol. X. p. 200 - 205.

FAZIO, Michael; MOFFETT, Marian; WODEHOUSE, Lawrence. A História da Arquitetura Mundial. 3 ed. Porto Alegre: Editora Bookman, 2011.

FREYRE. Gilberto. Um Engenheiro Francês no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1960.

GUERRA, Flávio. Velhas igrejas e subúrbios históricos. Recife: Itinerário, 1978.

HERKENHOFF, Paulo (Org.). O Brasil e os Holandeses: 1630-1654. Rio de Janeiro: GMT Editores, 1999.

MAGALHÃES, A. Cristian. Patologias de rebocos antigos. 3° ed. LNEC, Cadernos de Edifícios, n°2, 2011, p. 69 – 85.

MASSAZZA, F. Pozzolana and Pozzolanic Cements. In: HEWLETT, P. C. LEA'S Chemistry of Cement and Concrete. 4. ed. Toquío: Elsevier, 1988. Cap. 10, p. 487-501.

MELLO, José Antônio Gonçalves de. Tempo dos Flamengos. 2° Edição. Volume VX. Coleção Pernambucana. Recife: Governo do Estado de Pernambuco – Secretária de Educação e Cultura, 1978, p. 77.

MELO, Ulysses Pernambucano de. O Cabo de Santo Agostinho e a Baia de Suape. In: Revista do Inst. Arq. Hist. e Geo. Pernambucano. Recife: 1981. Vol. 53.

MENEZES, José Luiz Mota. Algumas Notas sobre a Arquitetura Brasileira. In: Revista Arquivos. N° 1. PMR/SEC. Recife: 1976. p. 129 - 164.

MENEZES, José Luiz Mota. O Recife das Origens até a chegada dos Holandeses (1535-1630). MOREIRA, Fernando Diniz (Org.). In: Recife Cinco séculos e cidade e arquitetura. Recife; CEPE, 2022.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA; IPHAN; UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO; FACULDADE DE ARQUITETURA. Arquitetura Civil I. São Paulo: FAU/USP, MEC-IPHAN, 1981.

MINC.. Imagens do Brasil Holandês 1630 – 1654. Rio de Janeiro: Raízes Artes Gráficas, 1987.

POLLIO, Marcus Vitruvius. Tratado de Arquitetura: Vitrúvio. Tradução, introdução e notas de M. Justino Maciel. São Paulo: Martins, 2007.

PORTOCARRERO, José Afonso Botuca. Tecnologia indígena em Mato Grosso: Habitação. 2 edição. Cuiabá: Entrelinhas, 2018.

SANTIAGO, Cybèle Celestino. Argamassas tradicionais de cal. Salvador: EDUFBA, 2007.

SEGURADO, João Emílio dos Santos. Biblioteca de Instrução Profissional: Materiais de Construção. 5° Ed. atualizada. Lisboa: Livraria Bertrand. s/d.

SMITH, Robert C.. Igrejas, Casas e Móveis: Aspectos de Arte Colonial Brasileira. Trad. Benício Whatley Dias. Recife: UFPE/IPHAN, 1979. 266 p.

SOUZA, Juliana Santa Cruz. As Inovações Tecnológicas de Construção do Século XIX: Sincretismo Construtivo da Basílica de Nossa Senhora da Penha. Recife:Trabalho de conclusão do curso de Arquitetura e Urbanismo, UFPE, 2010.

SOUZA, Juliana Santa Cruz. Estudo de argamassas à base de cal e metacaulim para intervenção em revestimento das edificações históricas. Dissertação de Mestrado em Engenharia Civil – Universidade Federal de Pernambuco, 2013.

SOUZA, Juliana Santa Cruz. A influência do metacaulim na cristalização das hidrogranadas nas pastas de cal. Tese de Doutorado em Engenharia Civil – Universidade Federal de Pernambuco, 2019.

SOUZA, Juliana Santa Cruz; OLIVEIRA, Felisbela M. daCosta; CARNEIRO, A. M. P.. Edificações históricas e a incompatibilidade com argamassas ricas em cimento Portland In: Congresso Brasileiro de Patologias das Construções - CBPAT, 2018, Campo Grande.Anais do Congresso Brasileiro de Patologias dasConstruções - CBPAT, 2018.

VASCONCELLOS, Sylvio de. Arquitetura no Brasil: Sistemas construtivos. 4° Edição revista. Belo Horizonte: editora da UFMG, 1971.

Downloads

Publicado em

1 de maio de 2023 — Atualizado em 19 de maio de 2023

Versões

Como Citar

CRUZ, J. OS MATERIAIS CONSTRUTIVOS DO EDIFICAR DE RECIFE E OLINDA . Revista Arquitetura e Lugar, Campina Grande, v. 1, n. 2, p. 86–101, 2023. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/arql/article/view/454. Acesso em: 27 fev. 2024.

Seção

Artigos