ARQUITETURA, ESTADO E OBRAS HÍDRICAS EM REGIÕES SEMIÁRIDAS DA AMÉRICA LATINA (1909-1945)

UM PANORAMA

Autores

Palavras-chave: semiárido da América Latina, arquitetura e Estado, infraestrutura hídrica

Resumo

O trabalho estuda as agências estatais de países da América Latina dedicadas ao planejamento e à implementação de infraestruturas hídricas em zonas semiáridas, durante o período 1909-1945, especificamente suas realizações nas escalas do território, da cidade e da arquitetura. Parte da hipótese de que o Brasil e outras nações da América Latina criaram instituições de Estado voltadas para a intervenção em suas regiões secas, orientadas por um projeto de modernização econômica e social alicerçado na promoção da agricultura irrigada via dotação de grandes infraestruturas para o acúmulo e a distribuição de água. Como desdobramentos dessas políticas, foram construídas barragens, rodovias, ferrovias, pontes, torres de tomada d’água, acampamentos de obra, núcleos agrícolas, habitações, escolas, hospitais e uma série de outros edifícios. A pesquisa foi realizada por meio de bases digitais, pesquisa bibliográfica e levantamento de documentação primária, analisados e compreendidos à luz de autores que versam sobre temas correlatos e paralelos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUILAR, L. The Transnational dimensions of Mexican irrigation, 1900-1950. Cidade do México: Journal of Political Ecology, 2012.

AMARAL, A. Arquitectura neocolonial: América Latina, Caribe, Estados Unidos. São Paulo: Memorial, 1994.

ANTUNES, R. Cidade do Algodão. Arquitetura e Urbanismo, Rio de Janeiro, ano 5, n.2, mar-abr. 1940.

ARNAL, Y. El riego agrícola en Venezuela en archivos de la Dirección de Obras Hidráulicas del Ministerio de Obras Públicas (1936-1960). Revista Geográfica Venezolana, Caracas, v. 58, n. 1, p. 184-197, jan. 2017.

ATIQUE, F. Arquitetando a “boa vizinhança”: a sociedade urbana do Brasil e a recepção do mundo norte-americano. 2007. Tese (Doutorado) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2007.

CHIOSSI, N. Geologia de engenharia. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.

CODY, J. W. Exporting american architecture 1870-2000. London: Routledge, 2003.

COMISIÓN Nacional de Irrigación. Revista Irrigación en Mexico, v.1, n.2, jun. 1930. _________________________. Revista Irrigación en Mexico, v.2, n.2, dez. 1930b.

IFOCS. Relatório dos serviços realizados em 1929. v.1. Fortaleza: MVOP, 1930.

MASCARO, L. Difusão da Arquitetura Neocolonial no Interior Paulista, 1920-1950. 2008. Tese (Doutorado) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos: 2008.

_____. Relatório dos trabalhos realizados no ano de 1936. Rio de Janeiro: MVOP, 1937.

MOCK, E. Architecture of bridges. Nova Iorque: The Museum of Modern Art,1949.

PFAFF, C. E. The Bureau of Reclamation’s architectural legacy: 1902 to 1955. Denver: USBR, 2007.

QUEIROZ, M. Arquitetura, cidade e território das secas: ações da IFOCS no semiárido do Brasil (1919-1945). Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo). Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Instituto de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo. São Carlos, 2020.

RAFFA, C. Construir Mendonza: Obras y políticas públicas en el territorio (1932 - 1943). Mendoza, 2020.

USBR. The Bureau of Reclamation: history essays from the Centennial Symposium. v.1-2. Denver: USBR, 2008.

Downloads

Publicado em

22 de fevereiro de 2023 — Atualizado em 19 de maio de 2023

Versões

Como Citar

QUEIROZ, M. V. D. de; COSTA, B. V. A. de S.; ALMEIDA, D. I. C. de. ARQUITETURA, ESTADO E OBRAS HÍDRICAS EM REGIÕES SEMIÁRIDAS DA AMÉRICA LATINA (1909-1945): UM PANORAMA . Revista Arquitetura e Lugar, Campina Grande, v. 1, n. 1, p. 74–85, 2023. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/arql/article/view/365. Acesso em: 24 abr. 2024.

Seção

Artigos