DESIGN, DIGITALIZAÇÃO TRIDIMENSIONAL & LADRILHO HIDRÁULICO

O PATRIMÔNIO CULTURAL DE PORTO ALEGRE – RS. UMA REVISÃO SISTEMÁTICA PARA O GERENCIAMENTO DA PESQUISA

Autores

Palavras-chave: ladrilho hidráulico, patrimônio cultural, digitalização tridimensional

Resumo

O presente artigo trata de uma revisão sistemática da literatura sobre o tema de pesquisa (ladrilho hidráulico, digitalização tridimensional e patrimônio cultural), seguindo a estrutura de um artigo tradicional. Foi desenvolvido para nortear o desenvolvimento da pesquisa de doutorado em andamento, identificando quais métodos de pesquisa foram utilizados nos trabalhos selecionados. Para a concepção do trabalho, fez-se necessário a elaboração do problema, objetivos, a definição de uma estratégia de busca, o estabelecimento de critérios de inclusão e exclusão dos trabalhos e, consequentemente, uma análise detalhada. Por fim, foram indicados novos rumos e futuras investigações para a tese.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AFONSO, A; CARVALHO, J. (2015). Patrimônio industrial e território: Campina Grande e seu entorno. Seminário Ibero-americano Arquitetura e Documentação, 4. Anais. Belo Horizonte: UFMG.

ALENCASTRO, Y. O. (2018). Faça-você-mesmo a digitalização 3D de acervos

museológicos. 2018. 199 f. Dissertação de mestrado – Escola de Engenharia,

Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

BONFADA, C. F.; KAUFFMANN, A. R.; SILVA, F. P. (2020). Desenvolvimento e avaliação de réplicas em resinas de bens do patrimônio cultural com uso de digitalização 3D e fabricação digital. Gestão e Tecnologia de Projetos, São Carlos, v.15, n.1, p.42-53, jan. http://dx.doi.org/10.116/gtp.v14i1.152672

BONFADA, C de F. (2019). Digitalização 3D de peças em bronze do patrimônio cultural de Porto Alegre para confecção de réplicas em caso de desaparecimento. 2019. 127 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Design e Tecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

BRASIL. (2022). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidente da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em 02 fev.

BRAVO-NIETO, A. (2015). La baldosa hidráulica en España. Algunos aspectos de su expansión industrial y evolución estética (1867-1960). Abe Journal, [S.L.], n. 8, p. 2-22, 17 set. OpenEdition. http://dx.doi.org/10.4000/abe.2721.

BRENDLER, C. F.; SILVA, F. P. da; TEIXEIRA, F. G. (2015). Avaliação de modelos obtidos por diferentes sistemas de digitalização 3D para produtos personalizados. Dapesquisa, Santa Catarina, v. 14, n. 10, p.68-86, nov.

CALEGARI, E. P. et al. (2017). A digitalização tridimensional como método de verificação da deformação do MDF ocasionada pela absorção de água. Dapesquisa, Santa Catarina, v. 12, n. 18, p.14-29, abr.

CAMPOS, S. B. da C.; CATTANI, A.; SILVA, F. P. da. (2020). Geração de conteúdo em realidade aumentada com o uso de drones na digitalização 3D por fotogrametria: o caso da igreja do desterro em são luís do maranhão, brasil. In: OLIVEIRA, Geísa Gaiger de; NUNEZ, Gustavo Javier Zani. Design em Pesquisa. 3. ed. Porto Alegre: Marcavisual, p. 534-545.

CARDOSO, E.; SANTOS, S. L. dos; SILVA, F. P. da; TEIXEIRA, F. G.; SILVA, T. L. K. da. (2014). Tecnologias Tridimensionais para Acessibilidade em Museus, p. 444-448. In: Proceedings of the XVII Conference of the Iberoamerican Society of Digital Graphics: Knowledge-based Design [Blucher Design Proceedings, v.1, n.7]. São Paulo: Blucher.

CARVALHO. C. S. R. de. (2012). A pesquisa para conservação de superfícies arquitetônicas do Museu Casa de Rui Barbosa. PÓS – Revista do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAUUSP/Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Comissão de Pós-Graduação – São Paulo: FAUUSP, v. 1, semestral v. 19, n. 31, jun.

CARVALHO, M. T. (2013). Patrimônio industrial, o território fabril sob a lente da (i)materialidade. 85 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Patrimônio Cultural, Univille, Joinville, 2013.

CASTRO, J. B. de; IMBRONITO, M. I. (2020). A superfície decorada do ladrilho hidráulico e os movimentos arts and crafts, art nouveau e art déco. Educação Gráfica, Bauru, v. 24, n. 1, p. 412-428, abr. Disponível em: encurtador.com.br/eqK18. Acesso em: 25 maio 2021.

CASTRO, A. A. (2010). Revisão Sistemática: Identificação e Seleção dos Estudos Primários. In S. Goldenberg, C. A. Guimarães, A. A. Castro, EDS. 2010. Elaboração e Apresentação de Comunicação Científica. Disponível em: http://metodologia.org/. Acesso em: 11 Abr. 2017.

CASTRO, A. A. (2017). Revisão sistemática e Meta-Análise. p. 2-11, 2001. Disponível em: <http://www.metodologia.org>. Acesso em: 28 maio.

CONFORTO, E.C.; AMARAL, D.C.; SILVA, S.L. (2011). Roteiro para revisão bibliográfica sistemática: aplicação no desenvolvimento de produtos e gerenciamento de projetos. In: Congresso brasileiro de gestão de desenvolvimento de produto – CBGDP 2011, 8, Porto Alegre. Porto Alegre: CBGDP, 12 p.

CORTES, M. della F. (2015). Valorização e identificação de padronagens de ladrilhos hidráulicos de 1920 a 1940, período Art Déco Brasileiro, presentes em prédios e casas do centro histórico de Santa Maria/RS. 2015. 153 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Patrimônio Cultural, Ufsm, Santa Maria.

CORTES, M. della F.; LOPES, C. E. J. (2014). Valorização e preservação de ladrilhos hidráulicos do período art déco brasileiro presentes no centro histórico de Santa Maria (RS). Revista Confluências Culturais, Joinville, v. 2, n. 3, p. 10-21, set.

COSTA, T. N. et al. (2015). Uso da digitalização 3d e da parametrização de medidas antropométricas para produção de moldes personalizados para o vestuário. Educação Gráfica, Bauru Sp, v. 19, n. 2, p.122-142, ago.

DANTAS, P. V. de F.; RIBEIRO, T. R. R.; BRUSCATO, U. M.; SILVA, F. P. da. (2016). Protótipo de dispositivo facilitador para digitalização 3D por fotogrametria com smartphones, p. 297-304. In: XX Congreso de la Sociedad Iberoamericana de Gráfica Digital [=Blucher Design Proceedings, v.3 n.1]. São Paulo: Blucher.

DOMINGUES, A. do A.; SANTOS, C. A. Á. (2021). Tapetes de cimento e pigmento: ladrilhos hidráulicos em pelotas. Seminário de História da Arte - Centro de Artes - Ufpel, Pelotas - Rs, n. 6, p. 1-17, 3 jul. 2017. Universidade Federal de Pelotas. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.15210/sha.v0i6.11557>. Acesso em: 25 maio.

GESTER, C. de S. L. M. (2013). Ladrilhos hidráulicos em Belém: subsídios para a sua conservação e restauração. 144 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal da Bahia, Salvador.

ICOMOS BRASIL. (2013). Estatuto do Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios. Salvador: UFBA.

IPHAN. (2022). Patrimônio Cultural. 2022. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/218. Acesso em: 10 abr.

KRUGER, G. J. (2014). Os ladrilhos hidráulicos no patrimônio arquitetônico urbano na zona central de Pelotas. In: III COLÓQUIO IBERO-AMERICANO, 2014, Belo Horizonte. Belo Horizonte. p. 1-14.

LAMAS, M. L.; LONGO, O. C.; SOUZA, V. C. de. (2018). A produção de ladrilho e o ofício de ladrilhar: método de produção de ladrilhos do século XVIII aos nossos dias. An. mus. paul. São Paulo, v. 26, e09, 2018. Disponível em . acessos em 17 dez.

LIMA, C. R. B. de. (2015). Revestimentos Hidráulicos: Entre arte e tecnologia. Passado, presente e novas possibilidades. 2015. 217 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Arquitetura e Urbanismo, Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos, São Carlos.

MARTINS, M. de C.; SOUSA, A. L. S. (2015). Estudos, registros e resgates de ladrilhos hidráulicos em São João Del-Rei/MG. In: Seminário Ibero-americano Arquitetura e Documentação, 4. Anais. Belo Horizonte: UFMG.

MEDEIROS, A. T. T.; MELO, A. A. de A. (2018). O design de superfície nos ladrilhos hidráulicos: um estudo do patrimônio industrial em Campina Grande - Paraíba. Educação Gráfica, Bauru SP, v. 22, n. 2, p.26-46, jul.

MEDEIROS, A. T. T.; MELO, A. A. de A. (2018). As fábricas de ladrilho hidráulico de Campina Grande [PB]: um estudo do patrimônio industrial. Labor & Engenho, Campinas, v. 12, n. 3, p.392-410, ago.

MEDEIROS, A. T. T.; MELO, A. A. de A. (2020). O uso dos ladrilhos hidráulicos na arquitetura moderna campinense. Revista Restauro: Arte, Museu, Arquitetura, Cidade, São Paulo, v. 4, n. 7, p. 1-11, maio.

MEDEIROS, A. T. T.; SILVA, F. P. da. (2020). Registro e documentação dos ladrilhos hidráulicos do Paço Municipal – RS. Revista Mnemosine: Arquitetura, Cidade e Documentação, Campina Grande, v. 11, n. 2, p. 124-134.

MEDEIROS, P.; AFONSO, A. (2016). O “registro” como instrumento legal para a preservação do patrimônio material: uma alternativa para a salvaguarda do patrimônio industrial brasileiro. In: XVIII Jornadas Internacionales de Patrimonio Industrial. Anais. Gijón: Icuna.

MEDEIROS, A. T. T.; SILVA, F. P. da. (2019). O uso da digitalização tridimensional no mapeamento de danos dos ladrilhos hidráulicos do Paço dos Açorianos de Porto Alegre [RS]. Labor e Engenho, Campinas, SP, v. 13.

MENDES, L. T.; GRIZ, C.; SEDREZ, M. (2015). O uso de Digitalização 3D em experiências de documentação digital de patrimônio histórico: o caso da Sede Social do Metropolitano de Lisboa. p. 776-779. São Paulo: Blucher.

MUNIZ, G., SILVA, F., & KINDLEIN JÚNIOR, W. (2018). Design, tecnologia e patrimônio: digitalização tridimensional como ferramenta de preservação de elementos de prédios históricos. Gestão & Tecnologia De Projetos, 13(2), 53-66.

MUNIZ, G. R. (2015). O uso do design e das tecnologias 3d na criação do repositório digital de elementos de fachada dos prédios históricos da UFRGS. 2015. 140 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Design, UFRGS, Porto Alegre.

OBREGON, R. F. A.; VANZIN, T.; ULBRICHT, V. R. (2015). Recomendações para Ambiente Virtual de Aprendizagem Inclusivo na perspectiva do Padrão Arquetípico de Alteridade. Ed. Pimenta Cultural, São Paulo.

PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO. (2022). Ministério do Turismo. Disponível em: <https://www.gov.br/iphan/pt-br/patrimonio-cultural/patrimonio-arqueologico>. Acesso em 10 abr.

PINEDA, W. (2014). Anomalías Superficiales en Pavimentos de Mosaico Hidráulico: el caso cmg. 2014. 118 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Tecnología de La Arquitectura, Universidad Politécnica de Catalunya, Barcelona.

RUA, J. (2017). Digitalização, preservação e acesso: contributos para o projeto Museu Digital da U.Porto. Páginas a&b: arquivos e bibliotecas, p. 199-229.

TEIXEIRA, M. H. R. (2018). Do 2D ao 3D: fotogrametria aplicada à digitalização dos objetos do Museu Memória do Bixiga. 119 f. Dissertação (Educação, Arte e História da Cultura) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.

TICCIH. (2003). The International Committee for the Conservation of the Industrial Heritage. Carta de Nizhny Tagil sobre o Patrimônio Industrial. Julho.

TINOCO, J. E. L. (2013). Restauração de azulejos, mosaicos e ladrilhos: Cases de gestão e restauro. Olinda: Centro de Estudos Avançados da Conservação Integrada.

UNESCO. (2003). Convenção para a salvaguarda do patrimônio cultural imaterial. Paris: UNESCO.

UNESCO. (1972). Convenção para o patrimônio mundial, cultural e natural. Paris: UNESCO.

VASCONCELOS, C. B. de; OLIVEIRA, G. C. L. (2016). Formas 3D para ladrilho hidráulico: tecnologia do século XXI no planejamento de artefato para otimização de processos de produção do século XIX. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM DESIGN, 12. 2016, Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte: Blucher Design Proceedings, v. 9, p. 44441 - 4449.

VASCONCELOS, M. L. C. de; SELDEN JUNIOR, R. Z. (2017). A digitalização 3d das cerâmicas da coleção valentin calderón como ferramenta para a preservação. In: SEMINÁRIO DE PRESERVAÇÃO DE

PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO, 4., 2016, São Cristóvão. Nacogdoches, Texas: Scholar Works. p. 243 - 252.

WAMZER, R. L. K.; BERTOLOTO, J. S. (2015). O ladrilho hidráulico em Mato Grosso. Documento Monumento, Mato Grosso, v. 1, n. 14, p.12-29, jul.

Downloads

Publicado em

22 de fevereiro de 2023 — Atualizado em 19 de maio de 2023

Versões

Como Citar

MEDEIROS, A. T. T.; SILVA, F. P. da. DESIGN, DIGITALIZAÇÃO TRIDIMENSIONAL & LADRILHO HIDRÁULICO: O PATRIMÔNIO CULTURAL DE PORTO ALEGRE – RS. UMA REVISÃO SISTEMÁTICA PARA O GERENCIAMENTO DA PESQUISA. Revista Arquitetura e Lugar, Campina Grande, v. 1, n. 1, p. 32–49, 2023. Disponível em: https://revistas.editora.ufcg.edu.br/index.php/arql/article/view/362. Acesso em: 24 abr. 2024.

Seção

Artigos